Viver

Os países como o maior número de multimilionários do mundo

Comparativamente ao ano passado, existem mais quatro países com o seu primeiro "super-rico", afirma a Forbes.

Foto: Pexels
14 de abril de 2022 | Ana Filipa Damião

Os indivíduos mais ricos do mundo podem ser encontrados nos quatro cantos do planeta, mais precisamente em 75 países diferentes, anunciou a lista mais recente da Forbes. No total, existem 2.668 mil "fortunas de dez dígitos" este ano, menos 87 do que em 2021. Tal descida resulta de inúmeros fatores, como os surtos de Covid-19, que originou problemas nas cadeiras de abastecimento e de produção e nos preços das ações na China, ou a guerra entre a Rússia e a Ucrânia, que levou à queda livre do mercado russo e a sanções por parte da União Europeia.

Do outro lado do Oceano Atlântico, nos Estados Unidos da América, bate-se um novo recorde positivo. Tal não é de estranhar, pois oito das dez pessoas mais ricas do mundo são norte-americanas, com Elon Musk a liderar. No continente asiático, é a Índia que se destaca, com mais 26 multimilionários no país. Eis a lista completa de 2022, face ao ano passado.

1º. Estados Unidos da América – 735 milionários versus 724 / Pessoa mais rica: Elon Musk;

2º. China – 539 versus 626 /Pessoa mais rica: Zhong Shanshan;

3º. Índia – 166 versus 140 / Pessoa mais rica: Mukesh Ambani;

4º. Alemanha – 134 versus 136 / Pessoa mais rica: Dieter Schwarz;

5º. Rússia – 83 versus 117 / Pessoa mais rica: Vladimir Lisin;

6º. Hong Kong – 67 versus 71 / Pessoa mais rica: Robin Zeng;

7º. Canadá – 64 multimilionários / Pessoa mais rica: Changpeng Zhao;

8º. Brasil – 62 versus 65 / Pessoa mais rica: Jorge Paulo Lemann;

9º. Itália – 52 versus 51 / Pessoa mais rica: Giovanni Ferrero;

10º. Taiwan – 51 versus 47 / Pessoa mais rica: Zhang Congyuan.

Saiba mais multimilionários, Forbes, EUA, Rússia, China, Índia
Relacionadas
Mais Lidas
Viver Opinião. Deixem o Ronaldo em paz

A três dias do começo do Mundial do Catar e a uma semana da estreia de Portugal, frente ao Gana, a polémica está novamente instalada: Ronaldo é um ativo tóxico ou o ás de trunfo da Seleção?