Viver

Elon Musk in, utilizadores out. As celebridades que já deixaram o Twitter

Desde 28 de outubro, dia em que o homem mais rico do mundo adquiriu oficialmente a rede social, que milhares de pessoas eliminaram a conta no Twitter. Entre elas estão nomes como Shonda Rhimes, Gigi Hadid e Alex Winter.

Elon Musk na entrada do tribunal federal de Nova Iorque, 4 de Abril de 2019
Elon Musk na entrada do tribunal federal de Nova Iorque, 4 de Abril de 2019 Foto: Getty Images
07 de novembro de 2022 | Ana Filipa Damião

Após meses de negociações e processos judiciais, Elon Musk comprou finalmente o Twitter. A 28 de outubro, o homem mais rico do mundo tinha a rede social na palma da mão. A sua primeira medida? Despedir os diretores executivos da empresa e retirá-la da bolsa. Os despedimentos em massa seguiram-se, enquanto outros funcionários decidiram sair de livre vontade.

Mas as mudanças drásticas não ficam por aqui, e nem todos estão felizes com as mesmas. Aliás, diversas figuras públicas eliminaram a conta da rede social depois de Elon Musk a ter adquirido, com receio de que se tornasse uma plataforma aberta a conteúdos ofensivos, como o discurso de ódio, ou à partilha de desinformação. Na fatídica sexta-feira, há duas semanas, houve mais de 86 mil visitas à página de desativação do Twitter, segundo a o jornal The Washington Post, um número que, mesmo assim, é inferior às 300 mil visitas à página de inscrição do mesmo.

A produtora e cineasta Shonda Rhimes e a artista Sara Bareilles foram apenas algumas das celebridades que decidiram eliminar a conta. "Olá a todos. Vou-me embora daqui. Sem julgamento. Vamos manter a fé. Vamos proteger a nossa democracia. Tentemos ser mais amáveis. Vamos tentar salvar o planeta. Tentemos ser mais generosos. Vamos procurar encontrar a paz no mundo", escreveu Ken Olin, produtor e realizador, como mensagem de despedida. 

"Estou chocada com alguma da "liberdade de expressão" que tenho visto nesta plataforma desde a sua aquisição. Discurso de ódio sob o véu da "liberdade de expressão" é inaceitável; por isso opto por ficar fora do Twitter, uma vez que já não é um espaço seguro para mim, para os meus filhos e para outros POC", escreveu também Toni Braxton, cantora, atriz e compositora. 

A modelo Gigi Hadid juntou-se à lista de "desertores", a par de Erik Larsen, ilustrador e criador da banda-desenhada O Fantástico Homem-Aranha, e Bill Morrison, ilustrador e editor das bandas-desenhadas Futurama e Simpsons. "Não posso afirmar que seja um lugar seguro para ninguém, uma rede social que fará mais bem do que mal", lêmos na história que Gigi Hadid publicou no Instagram, em resposta a um tweet de Shannon Raj Singh, que fazia parte da equipa de direitos humanos do Twitter. 

Instastory de Gigi Hadid
Instastory de Gigi Hadid Foto: @gigihadid

"Pensei que poderia esperar para ver se ele [Elon Musk] restabelecia a conta de Trump, mas decidi que havia muitas razões para deixar a rede mesmo sem o retorno de Trump", disse por sua vez Bill Morrison.

"O facto de Elon Musk ter assumido o Twitter e torná-lo uma empresa privada com menos supervisão tornou imediatamente a plataforma mais propensa ao discurso do ódio, ataques direcionados, e à disseminação de desinformação", comentou Alex Winter, ator conhecido por interpretar Bill nos filmes Bill & Ted, ao lado de Keanu Reeves, num e-mail ao site da NBC News

Saiba mais Twitter, Elon Musk, Discurso de Ódio, Liberdade de Expressão, Gigi Hadid, Shonda Rhimes, Bill Morrison, Erik Larson, Toni Braxton, Celebridades
Relacionadas
Mais Lidas
Viver Os luxos dos jogadores de futebol

Mansões que valem milhões, carros topo de gama, jatos privados e capas de telemóvel no valor de 35 mil euros — assim gastam as suas fortunas os melhores jogadores do mundo. Mas existe, também, um lado solidário que os craques da bola nunca esquecem. E isso, sim, é “jogar bonito”.