Prazeres / Sabores

Vinhos para festejar o maior dia do ano

Quando o Sol atinge a sua posição mais alta no céu, no maior dia do ano, 21 deste mês, também se comemora o dia europeu da música. Razões mais do que suficientes para brindar com dois verdes brancos ou dois tintos do Alentejo e Douro. Ainda no Douro, um branco biológico e um moscatel vegan.

Foto: Pexels
17 de junho de 2022 | Augusto Freitas de Sousa

Já Te Disse Alicante Bouschet 2020
O topo de gama da marca Já Te Disse é este monovarietal Alicante Bouschet com uma edição especial de 3200 garrafas. Estagia durante 14 meses em barricas novas de carvalho francês. Com enologia de Joachim Roque, o enólogo luso-francês que já trabalhou em Bordéus, Napa Valley e também no Alentejo, chega agora ao mercado esta nova referência. Todas as garrafas são numeradas e lacradas: €98,50

Já Te Disse Alicante Bouschet
Já Te Disse Alicante Bouschet Foto: D.R

Terras do Grifo Branco Biológico
Da casa Rozès, este DOP branco duriense foi feito com as castas Códega do Larinho e Verdelho. A fermentação alcoólica ocorreu em cuba de aço inoxidável a uma temperatura controlada entre 14 e 16 graus. Após a fermentação, o vinho é mantido em cuba de inox em contacto com as borras finas até ao engarrafamento, por forma a manter a sua frescura e ganhar complexidade. €9

Terras do Grifo Branco Bio
Terras do Grifo Branco Bio Foto: D.R

Menin Grande Reserva Tinto 2019
O vinho DOC Douro nasce de um field blend de vinhas velhas de 54 castas de diferentes talhões e parcelas com diferente exposição solar. As fermentações são feitas a temperaturas controladas, seguindo-se um estágio de 20 meses em barricas novas de carvalho francês. Predominam as castas Tinta Amarela e Touriga Franca. Neste blend há 2% de castas brancas. A enologia é de João Rosa Alves com consultadoria de Tiago Alves de Sousa. €50

Grande Reserva Menin Douro Estates
Grande Reserva Menin Douro Estates Foto: D.R

Quinta de Monforte Alvarinho 2021
A casta de uma boa parte dos brancos de excelência de Portugal volta a ser rainha nesta quinta de Penafiel. Os solos de granito proporcionaram um vinho leve, mineral e fresco. A vinificação a cargo do enólogo Francisco Gonçalves foi feita de bica aberta, com fermentação a temperatura controlada e estágio em cuba de inox. Foram produzidas apenas 3000 garrafas. €18

Quinta de Monforte Alvarinho
Quinta de Monforte Alvarinho Foto: D.R

Muralhas de Monção 2021
Um clássico dos verdes que ganhou vários prémios recentemente, da sub-região de Monção e Melgaço. Feito com as castas Alvarinho (85%) e Trajadura (15%) tem um carácter predominantemente frutado. Na vinificação houve seleção de uvas e decantação durante 24 horas a 14 graus. A fermentação foi controlada e a estabilização pelo método de contato. Filtração por terras e final por membranas. €4,59

Muralhas de Monção
Muralhas de Monção Foto: D.R

Favaíto
O novo lançamento do Moscatel da Adega de Favaios, os primeiros portugueses a obter o certificado Vegan. Já anteriormente os DOC Douro da adega receberam a mesma certificação, mas desta vez chega aos vinhos fortificados. Há uma década que a casa não usa qualquer produto de origem animal no processo de vinificação. As exceções são os Moscatéis mais velhos que não podem ostentar o selo. €6,09

Favaíto Vegan
Favaíto Vegan Foto: D.R

 

Saiba mais Prazeres, Inspiração, Sabores, Vinhos
Relacionadas

Vinhos para enfrentar as temperaturas de verão

Um rosé feito com todo o cuidado em Estremoz com a versatilidade de se pode beber sozinho ou durante a refeição. Os restantes brancos, dos Açores, do Alentejo, do Douro e de Côttes de Provence, são ideais para enfrentar a canícula. A concluir um espumante completamente fora da caixa.

Vinhos para comemorar a rainha dos deuses

A mitologia romana ainda continua a encantar o mundo. O mês de Juno, rainha dos deuses, casada com Júpiter, faz-se de comemorações e festas pagãs, onde o vinho tem uma presença especial. Na melhor tradição, um tinto e um branco do Alentejo, outros tantos do Douro e um duo de brancos mais a norte.

Vinhos para entrar de férias em grande

No mês de férias por excelência as opções passam a ser numerosas e variadas. Um branco do Alentejo e dois do Norte, um deles feito a duas mãos. Um tradicional duriense que mistura sub-regiões e um rosé bio. A terminar um alentejano feito com cuidado.

Vinhos para abrir as portas ao mês do verão

O tempo mais quente não implica necessariamente vinhos brancos ou rosés, mas quando se trata de bebida a solo, a tendência não recai sobre os tintos. Ainda assim, dois brancos alentejanos acompanhados um tinto clássico da região. A Norte, mais dois brancos e uma aguardente.

Mais Lidas
Sabores Noites de pole dance e o melhor do México à mesa

Na iminência de completar uma década, o restaurante Las Ficheras regressa às origens e agita o verão na capital, mais precisamente no Cais Sodré, com novos sabores na carta e Sasha como protagonista de um serão que segue com DJs e boa música.

Sabores Vinhos para entrar de férias em grande

No mês de férias por excelência as opções passam a ser numerosas e variadas. Um branco do Alentejo e dois do Norte, um deles feito a duas mãos. Um tradicional duriense que mistura sub-regiões e um rosé bio. A terminar um alentejano feito com cuidado.