Prazeres / Sabores

Bons vinhos para atualizar a garrafeira em agosto

As vinícolas não podem parar e há quem lance novidades. Um branco e um rosé, ambos reservas, um do Douro e outro do Dão, um espumante de Vinhão dos verdes, um branco que já é quase um clássico e dois vinhos do Porto para fechar em beleza.

Foto: Pexels
05 de agosto de 2022 | Augusto Freitas de Sousa

Vale D. Maria Douro Superior Branco 2021

O ano passado foi o superior tinto de 2020, este ano um branco com o caráter único do Douro que preserva a identidade das vinhas do Vale do Rio Sabor. Com enologia de Rui Viana, um blend das castas Rabigato e Viosinho que foi dividido em dois lotes, um deles pisado em lagares de granito e outro fermentado em cubas de inox. Estagiou seis meses em barricas de carvalho francês. €9,99

Vale D. Maria Douro Superior Branco 2021
Vale D. Maria Douro Superior Branco 2021 Foto: D.R

Lavradores de Feitoria Branco 2021

A caminho de ser um clássico, este vinho promete frescura e acidez como as principais características, proveniente de uvas plantadas em parcelas de cotas mais altas com as castas Malvasia Fina, Gouveio e Síria, plantadas há cerca de 20 anos em solo de xisto. A vindima é manual para pequenas caixas, e a fermentação e estágio ocorre em cubas de inox. €5,89

Lavradores de Feitoria Branco 2021
Lavradores de Feitoria Branco 2021 Foto: D.R

Casa de Santar Rosé 2020

Já com alguns meses no mercado, este rosé é o primeiro single estate desta marca do Dão na categoria rosé, um dos muitos com a assinatura de Osvaldo Amado, e com uma produção limitada a 3500 garrafas. Os responsáveis classificam-no como gastronómico, produzido exclusivamente a partir da casta Touriga Nacional. Estagiou e fermentou durante três meses em barricas de carvalho francês. €14

Casa de Santar Rosé 2020
Casa de Santar Rosé 2020 Foto: D.R

Espumante Naperão Vinhão

A casa define-o como único, bizarro e gastronómico. Um monocasta Vinhão, este DOC Vinho Verde tem enologia de José Antas Oliveira que utilizou o método de espumantização Charmat (segunda fermentação em inox) com a ideia de preservar o perfil aromático da casta. As uvas são de cepas velhas de alguns associados da adega. Antes de ser lançado estagia em garrafa. €7,95

Espumante Naperão Vinhão
Espumante Naperão Vinhão Foto: D.R

Borges Vintage Porto 2020

Marcado pelo clima extremo e vindima precoce, o vinho foi declarado pela casa como Vintage Clássico. As uvas, que provêm da Quinta da Soalheira, no Douro – adquirida em 1904 pelos irmãos Borges –, foram selecionadas e vinificadas com recurso a pisa a pé de forma a promover uma maceração e extração intensa. Os responsáveis acreditam que será um néctar memorável, carregado de história e estórias. €75

Borges Vintage Porto 2020
Borges Vintage Porto 2020 Foto: D.R

Fonseca Bin 27

Num ano em que esta referência comemora 50 anos, a casa Fonseca reedita este Porto que, na realidade, existe há mais de um século, mas anteriormente servia apenas para consumo familiar. Lançado pela primeira vez em 1972, o Bin (compartimentos onde os vinhos eram guardados) provém principalmente das quintas próprias da marca localizadas no Cima Corgo. Não precisa de ser decantado uma vez que foi estabilizado a frio antes de ser engarrafado. €14,50

Fonseca Bin 27
Fonseca Bin 27 Foto: D.R
Saiba mais Sabores, Vinhos, Verão, Vinho do Porto, Férias, Douro
Relacionadas

Vinhos para levar na mala de férias

Num mês tradicionalmente de descanso impõem-se propostas para os tempos mais livres. Em busca da diversidade, um clarete do Bruno Aleixo, uvas tintas que se transformaram num branco e num rosé, no Douro, um branco com mar, um verdadeiro tinto quase esquecido do Dão e dois moscatéis velhos para aficionados do futebol.

Vinhos jovens ou envelhecidos?

Numa altura em que se comemora o Dia Internacional da Juventude, há sugestões de vinhos – onde a idade importa – para novos consumidores e para os mais conhecedores.

Vinhos para reconfortar a alma

Não há como contrariar a tendência dos brancos durante o calor. Há quem beba os tintos mais frescos e muitos adequam-se, mas desta vez a seleção é apenas de castas brancas. Três “douros” distintos, um premiado do Tejo e um verde que comemora 120 anos. Um conforto para o corpo… e alma.

Do champanhe ao aperol. Bebidas frescas para aproveitar o verão

É natural que durante os meses de calor se alterem os hábitos da comida e bebida. De férias ou a trabalhar são as bebidas frescas e os pratos leves que ganham a preferência dos consumidores. Champanhe com gelo, “blanc de blancs”, receitas secretas, inovações e tradição. Opções que celebram o verão.

Vinhos para viajar pelo verão

No dia em que o navegador Vasco da Gama inicia a primeira viagem marítima da Europa à Índia, abrem-se os horizontes mas para viagens mais curtas e amenas. Um blend exclusivo que comemora bodas de prata no Alentejo e um rosé clássico. Ainda quatro brancos dos Açores, Tejo, Douro e verdes.

Vinhos para festejar o maior dia do ano

Quando o Sol atinge a sua posição mais alta no céu, no maior dia do ano, 21 deste mês, também se comemora o dia europeu da música. Razões mais do que suficientes para brindar com dois verdes brancos ou dois tintos do Alentejo e Douro. Ainda no Douro, um branco biológico e um moscatel vegan.

Mais Lidas
Sabores Vinhos jovens ou envelhecidos?

Numa altura em que se comemora o Dia Internacional da Juventude, há sugestões de vinhos – onde a idade importa – para novos consumidores e para os mais conhecedores.

Sabores Bons vinhos para atualizar a garrafeira em agosto

As vinícolas não podem parar e há quem lance novidades. Um branco e um rosé, ambos reservas, um do Douro e outro do Dão, um espumante de Vinhão dos verdes, um branco que já é quase um clássico e dois vinhos do Porto para fechar em beleza.