Prazeres / Sabores

Vinhos para enfrentar as temperaturas de verão

Um rosé feito com todo o cuidado em Estremoz com a versatilidade de se pode beber sozinho ou durante a refeição. Os restantes brancos, dos Açores, do Alentejo, do Douro e de Côttes de Provence, são ideais para enfrentar a canícula. A concluir um espumante completamente fora da caixa.

Foto: IMDB
09 de junho de 2022 | Augusto Freitas de Sousa

Já Te Disse Rosé 2021

Com enologia de Joachim Roque, este rosado é produzido a partir de um blend com as castas Aragonez (40%), Touriga Nacional (30%) e Syrah (30%). Vinifica e estagia em cuba de inox com temperatura controlada. Nesta vinha em Estremoz, o produtor Pedro Patrício faz questão de frisar que a quantidade não é prioridade, mas antes a qualidade. Todas as garrafas são numeradas e lacradas. €33

Já Te Disse Rosé 2021
Já Te Disse Rosé 2021 Foto: DR

Discórdia Branco 2020

As novas colheitas dos vinhos da Herdade Vale d’Évora pela mão do enólogo Filipe Sevinate Pinto estão no mercado. As uvas são colhidas numa vinha com 10 hectares a poucos quilómetros de Mértola. Os solos pobres de xisto, o clima quente da região e a proximidade ao rio Guadiana marcam este vinho feito com Antão Vaz, Arinto e Verdelho. Com vindima manual, estagiou em cubas de inox. €8,90

Discórdia Branco 2020
Discórdia Branco 2020 Foto: DR

Maia Blanc 2021

Um vinho da denominação francesa "Côttes de Provence" que a partir da próxima segunda-feira está disponível em Portugal. O branco tem a assinatura de Liam Steevenson, o mais produtor mais jovem do mundo a conseguir a qualificação Master of Wine. Fundou a "Vineyard Productions" e faz vinho em várias regiões do mundo. Este é produzido a partir da casta Rolle, fermentou 12 a 15 dias a temperaturas entre os 15 e 17 graus. €15,57

Maia Blanc 2021
Maia Blanc 2021 Foto: DR

Menin Grande Reserva Branco

Este 100% Arinto nasce da seleção de parcelas com predominância de exposição solar Nascente e solos de xisto e granito em cotas que variam dos 350 aos 400 metros de altitude. Com enologia de João Rosa Alves e Tiago Alves de Sousa, este branco foi vindimado manualmente e as uvas passaram por uma triagem em tapete. Após a clarificação do mosto, iniciou-se a fermentação alcoólica em barricas de carvalho a baixas temperaturas durante 20 dias. Estagiou 6 meses com bâtonnage periódica. €50

Menin Grande Reserva Branco
Menin Grande Reserva Branco Foto: DR

Oceânico Arinto dos Açores 2021

Um monocasta da Ilha do Pico, feito pela marca Rocim com enologia de Pedro Ribeiro. Este foi o primeiro branco produzido pela casa alentejana nos Açores. A variedade Arinto dos Açores foi vinificada de forma a evidenciar as características deste terroir único. A fermentação ocorreu em balseiro de madeira a temperaturas controladas. Estagiou durante seis meses em borras finas. €19,49

Oceânico Arinto dos Açores 2021
Oceânico Arinto dos Açores 2021 Foto: DR

Brava Centenarium

A partir de uma receita familiar antiga, este espumante de sidra é feito de uma maçã com Denominação de Origem Portuguesa: a Bravo de Esmolfe. Surge da vontade de dois jovens empresários em Trás-os-Montes com o apoio técnico de enólogos e especialistas na produção de vinhos espumantes. Os produtores criaram um espumante de sidra leve e fresco feito pelo método tradicional "champenoise". €12,55

Brava Centenarium
Brava Centenarium Foto: DR
Saiba mais Rosé, Vinhos, Verao, Calor, Te Disse Rosé, Arinto dos Açores, Brava Centenarium
Relacionadas

24 Horas de Le Mans – será esta a maior corrida do mundo?

Entre Le Mans, o Grande Prémio do Mónaco e as 500 Milhas de Indianápolis, não é fácil nomear uma. São todas corridas de enorme calibre, ricas em historial e verdadeiras clássicas do desporto automóvel. A resposta, se calhar, é como nas cervejas: provavelmente.

Contra, o restaurante que popularizou de novo as Docas

Há um movimento pronto a devolver às Docas de Santo Amaro, em Lisboa, o hotspot da noite lisboeta, outrora. Na vanguarda desta visão está o Contra, restaurante descomplicado, onde a carta eclética faz o género de todos e os cocktails se bebem como água. No final, é a música que dita quando a noite acaba.

Vinhos para festejar o maior dia do ano

Quando o Sol atinge a sua posição mais alta no céu, no maior dia do ano, 21 deste mês, também se comemora o dia europeu da música. Razões mais do que suficientes para brindar com dois verdes brancos ou dois tintos do Alentejo e Douro. Ainda no Douro, um branco biológico e um moscatel vegan.

Vinhos para entrar de férias em grande

No mês de férias por excelência as opções passam a ser numerosas e variadas. Um branco do Alentejo e dois do Norte, um deles feito a duas mãos. Um tradicional duriense que mistura sub-regiões e um rosé bio. A terminar um alentejano feito com cuidado.

Mais Lidas
Sabores Noites de pole dance e o melhor do México à mesa

Na iminência de completar uma década, o restaurante Las Ficheras regressa às origens e agita o verão na capital, mais precisamente no Cais Sodré, com novos sabores na carta e Sasha como protagonista de um serão que segue com DJs e boa música.

Sabores Vinhos para entrar de férias em grande

No mês de férias por excelência as opções passam a ser numerosas e variadas. Um branco do Alentejo e dois do Norte, um deles feito a duas mãos. Um tradicional duriense que mistura sub-regiões e um rosé bio. A terminar um alentejano feito com cuidado.