Prazeres / Sabores

Vinhos que antecipam o inverno… sem pressas

A poda já está em marcha em várias regiões do país. Também é a partir deste mês que já se podem plantar novas cepas que daqui a três ou quatro anos darão frutos. Um branco de Mértola, que não sai sempre, e cinco tintos que se espalham pelo Oeste, Tejo, Douro e Alentejo.

Foto: Freepik
02 de dezembro de 2022 | Augusto Freitas de Sousa

Adega Mãe Terroir Tinto 2016

Trata-se de um topo de gama só produzido em anos de excelência, lançado recentemente nesta casa de Torres Vedras. Este tinto, com enologia de Diogo Lopes, provém da Quinta Dom Carlos em Alenquer, onde os responsáveis garantem ter registado consistentemente as melhores vindimas. É apenas a terceira edição desta referência (2013 e 2015). A fermentação ocorreu durante 15 dias a temperatura controlada e o estágio atingiu os 18 meses em barricas de carvalho francês. €50 

Adega Mãe Terroir Tinto 2016
Adega Mãe Terroir Tinto 2016 Foto: D.R

Grande Discórdia Branco 2020 

Um alentejano com lançamento apenas em anos que se considerem excecionais pela qualidade. Os produtores referem a importância da casta Arinto com proximidade ao rio Guadiana, o que lhe dá frescura e acidez, ainda assim improvável. Um branco com enologia de Filipe Sevinate Pinto com estágio durante nove meses em barrica de 500 litros. €34

Grande Discórdia Branco 2020 
Grande Discórdia Branco 2020  Foto: D.R

Herdade das Servas Vinhas Velhas Tinto 2017

Um lançamento do produtor Luís Serrano Mira produzido a partir das castas Alicante Bouschet (45%), Touriga Nacional (20%), Aragonês (30%) e Petit Verdot (5%), com vindima manual e uvas selecionadas e desengaçadas, e maceração pré-fermentativa. O vinho fermenta em lagares de mármore e cubas de inox e estagia em barricas de carvalho francês durante 18 meses e 24 em garrafa. €30

Herdade das Servas Vinhas Velhas Tinto 2017
Herdade das Servas Vinhas Velhas Tinto 2017 Foto: D.R

Quinta da Gricha Talhão 8 – 2018

Um monocasta Touriga Nacional com um volume limitado agora numerado pela casa. Com enologia de John Graham e Ricardo Pinto Nunes, este tinto do Douro é vinificado em cubas de inox de pequena capacidade. As uvas são totalmente desengaçadas, posteriormente esmagadas e, após um período de quatro dias em maceração a frio, a fermentação ocorre sob temperatura controlada. O vinho estagiou cerca de 12 meses em barricas de carvalho francês. €50

Quinta da Gricha Talhão 8 – 2018
Quinta da Gricha Talhão 8 – 2018 Foto: D.R

Cabeça de Toiro Reserva Tinto Syrah Terroir

Da Quinta S. João Batista este vinho 100% Syrah, a principal casta da propriedade, é feito de várias parcelas com idades diferentes, plantadas entre 2000 e 2019, e com diferentes orientações e exposições solares. Foi selecionado o melhor talhão, vinificado com desengace total das uvas, maceração pelicular prolongada, fermentação a temperatura controlada e sem madeira. €9,99

Cabeça de Toiro Reserva Tinto Syrah Terroir
Cabeça de Toiro Reserva Tinto Syrah Terroir Foto: D.R

José de Sousa Reserva 2018

Um tinto alentejano produzido a partir das castas Grand Noir, Aragonez e Syrah numa casa que possui duas adegas com estilos muito distintos: a Adega dos Potes, onde estão 114 talhas de barro, com um método de fermentação ancestral, e a Adega Moderna com 44 tanques de inox. Este vinho fermentou em ambas e estagiou durante oito meses em barricas novas de carvalho francês e americano. No seu processo de vinificação é utilizada a técnica da curtimenta. €18,99

José de Sousa Reserva 2018
José de Sousa Reserva 2018 Foto: D.R
Saiba mais Vinhos, Enologia, Poda, Tejo, Douro, Oeste, Mértola
Relacionadas

Vinhos para antecipar os dias frios

A cerca de um mês para o início do Inverno, com as vinhas a descansar, começa-se a preparar o tempo que pede brindes caseiros. Um tinto de parcela do Douro e, da mesma região, um monocasta. Um branco topo de gama do Oeste e dois tintos de Alenquer e de Pias. Um espumante de Bucelas fecha o ciclo.

Vinhos que aproximam familiares e amigos

Num mês em que se iniciam os preparativos para as festas que se aproximam, um brinde à fraternidade e solidariedade. Um branco a Oeste e dois tintos: um alentejano sem preconceitos e um clássico do Douro. Ainda dois brancos do Alentejo que utilizam uma casta do Norte e, a fechar, uma celebração com 50 anos de história.

Mais Lidas
Sabores Vinhos para beber no mês mais curto do ano

Foi uma imposição do imperador romano César Augusto que um dos dias de fevereiro passasse para agosto porque antes o mês tinha 29 dias (30 nos anos bissextos). Enfim, é empo suficiente para provar três tintos do Douro, Dão e Alentejo, um champanhe clássico, um Porto de Favaios e um branco de Monção e Melgaço.