Prazeres / Sabores

Júpiter: o vinho português que custa 1000 euros por garrafa

Os 1.000 euros por cada garrafa de Júpiter deixam-no no patamar dos vinhos portugueses mais caros. As uvas vêm das talhas da Herdade do Rocim.

Vinho Júpiter, de `Vinhos do Outro Mundo´
Vinho Júpiter, de `Vinhos do Outro Mundo´ Foto: D.R
04 de agosto de 2021 | Augusto Freitas de Sousa

Os responsáveis da "Wines From Another World" (Vinhos do Outro Mundo) recomendam a harmonização do vinho Júpiter com Space Oddity de David Bowie. A sugestão está no site com o mesmo nome em inglês que, enquanto se ouve o som que se assemelha a uma viagem no espaço, disponibiliza uma caixa para introduzir um código. A chave vem na caixa do vinho alentejano da marca Júpiter, vendido a 1.000 euros a garrafa.

A página digital materializa o projeto que se apresentou em Portugal com o lançamento, em junho, da marca Júpiter com um preço que agitou o mundo dos vinhos. O empresário e consultor vinícola Cláudio Martins, em parceria com o enólogo Pedro Ribeiro, da casa Rocim, e o fundador e diretor de arte da Sparrow Creative Solutions, Pedro Marques Antunes, decidiu criar o projeto "Wines From Another World" para comercializar uma série de vinhos e potenciar a sua compra como investimento.

Cláudio Martins, Pedro Ribeiro e Pedro Marques, mentores do `Vinhos do Outro Mundo´
Cláudio Martins, Pedro Ribeiro e Pedro Marques, mentores do `Vinhos do Outro Mundo´ Foto: D.R

O empresário quer "alavancar a marca Portugal" e "colocar os vinhos portugueses no mapa", sete anos depois de ter aberto em Londres a empresa "Martins Wine Advisor", que presta serviços de consultadoria a restaurantes e hotéis e privados.

Cláudio nasceu há 42 anos na zona do Dão, na vila de São Romão, em Seia, e recorda que em 2000, quando emigrou para Inglaterra, a sua ideia era conseguir trabalho como bartender, mas o emprego que arranjou foi num restaurante como ajudante de cozinha. Ainda assim, o empresário conta que passados nove meses chegou ao cargo de diretor do espaço. Abriu a empresa de consultadoria em vinho em 2014, onde desenvolveu as vendas, marketing e alianças estratégicas internacionais com importadores e produtores locais. Entre outros clientes, como os franceses da Liber Pater" e Boerl & Kroff, o consultor representa marcas de vinho de países tão improváveis como China, Líbano e Síria.

Relativamente aos "Wines from another world", Cláudio Martins reconhece que o projeto "agitou as águas", mas insiste que Portugal "tem que deixar de pensar pequenino". A ideia do projeto surgiu durante os anos em que participou – desde 2017 – no "Villa d’Este Wine Symposium" onde se reúnem grandes marcas de vinho como a Romanée-Conti, Liber Pater e ainda inúmeros colecionadores. Chegou a ser orador no evento em 2019, quando o país convidado foi Portugal, mas salienta que a perceção sobre os vinhos portugueses se resume a "bom, bonito e barato" e, para a maioria dos colecionadores, Portugal não é uma escolha óbvia.

Claúdio Martins avançou com uma ideia que pretende alterar esse preconceito e resolveu lançar nove vinhos: o Júpiter do Alentejo na primeira edição e um vinho do Douro a encerrar a lista. O empresário não quer ainda revelar os nomes, mas adianta que, depois do Alentejo, vai lançar vinhos de Bordéus e Champanhe, em França, de Priorat, na Catalunha, em Espanha, da Toscana, em Itália, Napa Valley, nos Estados Unidos, Mosel, na Alemanha, e Kakheti na Geórgia. Cláudio Martins não tem dúvidas que se vão tornar rapidamente "alguns dos vinhos mais cobiçados nas próximas décadas e, logicamente, o seu valor aumentará exponencialmente durante esse período".

Evento privado organizado pelo `Vinhos do Outro Mundo´
Evento privado organizado pelo `Vinhos do Outro Mundo´ Foto: D.R

Para o responsável, há "cinco" fatores essenciais ao vinho: "qualidade, qualidade, qualidade, storytelling e comunicação.

A escolha da Herdade do Rocim, onde foi produzido o Júpiter, foi a procura dessas condições. O enólogo Pedro Ribeiro explica que as uvas provêm de "uma parcela de 0,36 hectares chamada Vinha Micaela". Quando fez a vindima em 2015 percebeu que estava perante um vinho superior, depois de o colocar em três talhas "em cama de engaço com a uva ligeiramente esmagada", exclamou: "Nestas ninguém toca", pensou ou disse. E ninguém lhe mexeu até ser engarrafado em janeiro e fevereiro de 2020 para depois estagiar durante cerca de um ano e meio em garrafa. Pedro Ribeiro acrescenta que, entre essas vinhas velhas com mais de 90 anos, as castas principais são Moreto, Trincadeira, Tinta Grossa, Alicante Bouschet, Antão Vaz e Perrum. Para o enólogo, o Júpiter traz consigo "um legado cobiçável para as gerações futuras de conhecedores que apreciam a história, a cultura e a tradição nas suas escolhas vínicas".

As 800 garrafas produzidas já têm destino. Cláudio Martins avança que 200 vão ficar guardadas para futuras provas e para fazerem parte da previsível caixa final com os nove vinhos, outras 200 integram o portefólio da OENO, uma empresa inglesa de investimentos em vinho, e as restantes 400 já estão vendidas ou alocadas. O consultor refere que entre os compradores há clientes particulares, investidores, restaurantes, hotéis, dos quais cerca 30% são portugueses.

Evento privado organizado pelo `Vinhos do Outro Mundo´
Evento privado organizado pelo `Vinhos do Outro Mundo´ Foto: D.R

Sobre o site "Wines From Another World" e a colocação do código que vem juntamente com a garrafa de Júpiter, Cláudio Martins revela que o número desbloqueia o acesso a um clube onde cada membro tem hipótese de ficar a par dos lançamentos, jantares, parcerias com restaurantes e hotéis de luxo, informações exclusivas, fotografias, vídeos e uma agenda de eventos privados a acontecer pelo mundo. E, ainda, para que "possam pré-reservar os próximos oito vinhos", que vão ser lançados para o mercado ao longo dos próximos oito anos.

Saiba mais Júpiter, Vinhos do Outro Mundo, Portugal, Cláudio Martins, Alentejo, vinicultura, vinho, David Bowie
Relacionadas

O génio do Alentejo numa garrafa

É entre o alto e o baixo Alentejo, mas temperado pela brisa amena do Atlântico, que nasce o Garrafeira branco 2019, na Herdade Aldeia de Cima, um produtor surpreendente…

Mercado de vinhos: as escolhas da semana

O verão é muitas vezes aproveitado pelas casas de vinho para lançar novos produtos no mercado. Vinhos de vários tipos e qualidade, para bolsas distintas e momentos diferentes. Fica uma seleção com alguma informação fornecida pelos próprios produtores.

Como uma quinta no Dão voltou a por o Palhete na moda

Em Besteiros, no Dão, a Quinta da Ramalhosa homenageia a região e trás de volta o palhete, um vinho que caiu em desuso mas que volta em grande pelas mãos da enóloga Patrícia Santos e do jovem produtor Micael Batista.

Mais Lidas
Sabores As carnes mais nobres chegaram a Cascais

Inaugurado este verão, o restaurante Latina Grill apresenta uma seleção ímpar de carnes maturadas e de corte premium. O chef André Sá Correia é o líder desta proposta gastronómica que se destaca por mais razões do que apenas um bom naco.

Sabores 6 vinhos para desfrutar num primeiro encontro

Vinhos lançados recentemente por casas conhecidas e outras nem tanto. Portugal continua a produzir o néctar dos Deuses com qualidade em todas as regiões demarcadas, e com ofertas para todos os gostos e carteiras. A começar por um espumante, tal como os restantes, com informações dos produtores e enólogos.

Sabores “Boas uvas são a chave para um bom vinho”

Nascido na Noruega, Ole Martin Siem admite ser metade português, albergando uma enorme paixão pelas pessoas, gastronomia e clima do nosso país. Em entrevista, o fundador da marca 'Vicentino' contou à Must o processo que o levou até ao vinho e a razão de escolher Portugal para plantar a sua vinha.