Prazeres / Sabores

Vamos brindar a 2021 com muita alegria (e estas bebidas)

Espirituosas, licorosas, fortificadas, aveludadas ou com bolhinhas…. Não vos parece que temos de celebrar o novo ano com as melhores companhias?

30 de dezembro de 2020 | Bruno Lobo

Esta é, provavelmente, a passagem do ano mais simbólica desde a viragem do milénio, e na mesa do réveillon não pode faltar uma boa dose de álcool. Quanto mais não seja para mandar 2020 às urtigas e receber 2021 de braços abertos e pleno de esperança num amanhã melhor.

Claro que quando se fala em bebidas para a passagem do ano o espumante é sempre um nome incontornável, mas há muitas outas opções por onde escolher, entre vinhos de mesa, fortificados e outras bebidas ainda mais fortes, que o ano está quase a acabar.

Taboadella Grande Villae 2018

Para acabar o ano em beleza, nada como trazer a mais interessante novidade vínica do ano em Portugal. Foi em julho que nos foi dada a oportunidade de conhecer a Quinta da Taboadella, o mais recente projeto da família Amorim que juntou à Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, no Douro, esta propriedade no Dão. E se a quinta e a adega de arquitetura contemporânea impressionam, não o fazem tanto quanto os primeiros vinhos apresentados, já com uma qualidade espantosa (comprovada por uma série de pontuações altíssimas, atribuídas pela imprensa especializada, nacional e internacional). Isto é sobretudo verdade no caso dos topos de gama Grande Villae, vinhos produzidos em quantidades muito reduzidas e num espírito absolutamente clássico. Uma forma de homenagear a região, a história ancestral da Taboadella e o terroir, onde a ligação ao vinho remonta à época romana.

Assim o Grande Villae Branco 2018 revela uma incrível complexidade aromática. É sedoso, concentrado e de uma acidez vibrante como só o Dão sabe oferecer. Tem um preço recomendado de 38 euros. Já o Tinto 2018 apresenta uma personalidade ainda mais complexa, com uma mineralidade muito presente, resultado do solo granítico. Um vinho copioso que nos oferece tanto. PVP: 59 euros.

Grande Villae Branco 2018 e Grande Villae Tinto 2018
Grande Villae Branco 2018 e Grande Villae Tinto 2018

Vértice Millésime 2013

Recuamos um pouco no tempo, a 2013, para trazer um espumante especial. Prova de que o Douro é mesmo incrível, e tem capacidade para fazer não apenas o Porto que lhe deu fama, os brancos e tintos que o projetaram mais longe, mas também espumantes dignos de competir com os melhores internacionalmente. Perfeito para abrir a festa, para acompanhar uma refeição e para fazer o brinde. PVP: 22,90 euros.

Vértice Millésime 2013
Vértice Millésime 2013

Hennessy Very Special Limited Edition Gold Bottle

A Hennessy guardou para este final de ano uma edição Gold, que invoca o tom das uvas amadurecidas ao sol. Uma homenagem à natureza que lhe dá vida, onde também o rótulo foi ligeiramente alterado para incorporar tradições que remontam a 250 anos e a muitas gerações de apreciadores deste famoso Cognac. Trata-se de uma edição única, elegante e luxuosa, que celebra a vida e a história e é por isso perfeita para apreciar neste final de ano. PVP: 37,49 euros.

Hennessy Very Special Limited Edition Gold Bottle
Hennessy Very Special Limited Edition Gold Bottle

O Alfrocheiro TB Quer Estar Nu

Não estamos a sugerir que passe o Réveillon peladinho, nada disso, mas depois da Touriga, que já "vai nua", esta é a mais recente incursão do enólogo António Maçanita por uma das castas mais antigas de Portugal, o Alfrocheiro. Tudo para tentar apresentar a casta na sua forma mais pura, surgindo assim sem madeira, e revelando um lado muito floral e uma densidade que casam muito bem com pratos de carne mais cheios. PVP: 21,94 euros.

O Alfocheiro tb quer estar Nu
O Alfocheiro tb quer estar Nu

Série Ímpar Sercialinho 2017

Também para celebrar o final do ano a nossa sugestão passa pelo branco mais surpreendente, de uma casta muitíssimo rara, Sercialinho, que aqui resulta num branco incrivelmente gastronómico, com uma presença na boca fantástica: cheio, muito saboroso, ácido…perfeito para a mesa. Um vinho Ímpar, também, porque único e irrepetível, no sentido em que não volta mais. PVP: 66 euros.

Série Ímpar Sercialinho 2017
Série Ímpar Sercialinho 2017

Ventozelo Dry Gin

Já sabíamos que um bom vinho de mesa ou um Porto nos podiam transportar para o Douro, mas um gin? Assim é com este Premium dry da Quinta do Ventozelo, bem perto do Pinhão. Trata-se de um blend de zimbro, tomilho limão, tomilho bela-luz, alfazema, perpétua roxa, coentros e hortelã-pimenta, aromáticas que nascem pela quinta e cujo perfume se pode sentir. Mas há mais, pois estas espécies botânicas foram maceradas em álcool vínico e aguardente vínica, ambos provenientes da destilação de vinhos da quinta, conferindo talvez mais suavidade e persistência a este gin bem português. PVP: 24,90 euros.

Ventozelo Dry Gin
Ventozelo Dry Gin

QM Alvarinho Super Reserva 2017

As Quintas de Melgaço, na Região dos Vinhos Verdes, sabem fazer espumantes de enorme qualidade como este. Trata-se de um Alvarinho subtil e elegante, perfeito para acompanhar mariscos e peixes. PVP: 17,90 euros.

QM Alvarinho Super Reserva 2017
QM Alvarinho Super Reserva 2017

James Martin’s 32 Years blended whisky

Eis um néctar precioso, uma raridade e um sonho para os grandes apreciadores de Whisky nacionais. O James Martin’s era um dos whiskies de qualidade mais queridos pelos portugueses, mas cuja história parecia ter-se perdido até agora, recriado pelo Director de Criação de Whisky da The Glenmorangie Company, casa mãe da marca. Trata-se de uma edição exclusiva para o nosso país, feita com cascos preservados nas caves há mais de 30 anos. Uma "Very Old" versão deste whisky que foi também o preferido do rei Eduardo VII e que se servia a bordo dos transatlânticos de luxo, como o Queen Mary e Queen Elizabeth, que faziam a travessia do oceano. Desde 2013 que não era lançado nenhum James Martin’s, e é apenas justo que tenha sido logo em 2020 que voltou a surgir. Sim, porque nem tudo podem ser más notícias, mesmo que seja só por uma vez. PVP: 389 euros.

James Martin’s 32 Years blended whisky
James Martin’s 32 Years blended whisky

Quinta da Boavista Vinha do Oratório 2016

A Vinha do Oratório é um grande ex-libris da Quinta da Boavista, no Douro, a preferida do Barão Forrester, emblemática figura do Douro. Uma vinha formada por altos terraços curvos que inspiram o nome, e chegam a atingir os oito metros de altura. Alberga mais de 25 castas durienses autóctones, tintas, plantadas há cerca de 80 anos, o que confere aos vinhos uma complexidade e concentração excecionais. PVP: 115 euros.

Quinta da Boavista Vinha do Oratório 2016
Quinta da Boavista Vinha do Oratório 2016

Jameson Black Barrel

No mundo dos whiskies há quem só beba escocês, quem jure pelo japonês ou quem prefira sempre o Irlandês. Também há quem não ligue muito à procedência, só à qualidade do néctar, e foi sobretudo a pensar nestes dois últimos casos que a Jamson lançou esta edição especial, envelhecida em pipas tostadas entre 7 e 12 anos. Um processo que torna o mais famoso whiskey irlandês um pouco mais intenso e com sabores mais ricos e frutados. PVP: 31,49 euros.

Jameson Black Barrel
Jameson Black Barrel

Quinta do Crasto Colheita Porto 2001

Para entrar em 2021 nada como provar um Porto de 2001. Quer dizer, se por acaso tiverem um 1921 à mão esqueçam a última frase, mas senão um 2001 serve especialmente bem, sobretudo porque o ano deu origem a grandes vinhos e porque esta quinta sabe muito bem como criar néctares de excelência. Este passou 17 anos em pipos de carvalho nacional de 550 Litros, antes de ser engarrafado. A idade é um estatuto, sem dúvida.  PVP: 52,90 euros.

Quinta do Crasto Colheita Porto 2001
Quinta do Crasto Colheita Porto 2001

Geraldine, Branco e Rosé

Prefere o seu espumante branco ou rosé? Não importa porque a Casa de Lemos oferece os dois para poder escolher. Ou não... O rosé é um monocasta de Touriga Nacional, com notas de frutos vermelhos e framboesa, cor salmão. Sofisticado, fino e de bolha persistente. Quanto ao Geraldine branco é outro monocasta, desta vez de Encruzado, casta típica do Dão. Trata-se de um espumante seco e boa acidez, de baixo teor alcoólico e bastante gastronómico. Ou seja, se o primeiro é ideal como aperitivo, o segundo é para acompanhar a refeição. PVP: 25 euros cada. 

Geraldine Branco e Geraldine Rosé
Geraldine Branco e Geraldine Rosé
Saiba mais sabores, bebidas, passagem de ano, ano novo, celebração, 2021, espumante, vinho, gin, whisky
Relacionadas

12 vinhos especiais para brindar em grande

Depois de um ano tão complicado, com novos “anormais” e confinamentos, merecemos certamente passar estes próximos tempos rodeados de boa comida e ainda melhores vinhos.

Este vinho foi ao espaço e agora está de volta

Foram 12 as garrafas de vinho francês de Bordéus que estiveram em “missão” na Estação Espacial Internacional e que agora regressam à Terra. O propósito maior? Testar os efeitos da gravidade zero neste néctar.

Neste bar ouve-se vinil. Leve um e ganhe uma bebida

No Static, o novo restaurante que alia gastronomia ao amor pelo vinil, nada é realmente um apelo ao mood estático. A ideia é ir, escolher um disco e sentar-se para jantar, ao som de uma banda sonora eclética.

Mais Lidas
Sabores Uma receita para aquecer as noites de inverno

Inspirado pelo dia mundial do queijo, que se assinala esta quarta, 20, o chef Luís Gaspar partilha uma receita com queijo de São Miguel. Ou não fosse Portugal um dos países com a mais rica tradição na produção desta iguaria.