Prazeres

Mediterra: comida mediterrânica que é “um verdadeiro orgasmo de sabores”

É por amor à comida de verdade, ao alimento autêntico, que o chef Nuno Queiroz Ribeiro se aventurou a abrir o Mediterra. Bem no centro de Oeiras, o amplo restaurante promete duas coisas difíceis de aliar: muita saúde e um farto prazer à mesa.

Foto: Fabiana Kocubey
16 de outubro de 2020 | Pureza Fleming

Nuno Queiroz Ribeiro optou pelo Dia Mundial da Alimentação, que se celebra a 16 de outubro para abrir, oficialmente, o seu primeiro restaurante: o Mediterra. Uma escolha que, como se poderá constatar ao longo deste texto, não é feita ao acaso. Logo à entrada, há um grande painel que recebe quem chega ao último andar do Tagus Park. Assinado pelo chef, Nuno Queiroz Ribeiro, naquela espécie de manifesto, podem-se ler os propósitos, bem como os valores, que se encontram por detrás desta novidade. E, claro, a definição da missão daquele chef, já conhecido pelo trabalho que tem vindo a desenvolver na promoção da saúde e pela defesa dos sabores e valores da alimentação consciente.

Restaurante Mediterra
Restaurante Mediterra Foto: Fabiana Kocubey




"Queremos fazer um elogio à vida. Celebrar o amor pela vida. São as nossas escolhas diárias que ditam a nossa existência"
, pode-se ler naquele enorme painel. E, inevitavelmente, a defesa da Dieta Mediterrânica: "(…) para demonstrar que a comida, mas a comida de verdade e sem adereços, é muito fácil de entender. E consegue ser tão simples como o vermelho vivo de um tomate acabado de ser colhido e que chega até ao prato com toda a pompa e circunstância. Esta é uma Dieta que enaltece o alimento. Que o respeita. Que o ama. Eleva o ingrediente até ao seu expoente máximo. É este carinho pela matéria-prima, em todo o seu esplendor, que fará com que o seu prato se encha de alegria, se assoberbe de vida. Mais do que uma refeição, ansiamos proporcionar-lhe uma experiência. Um verdadeiro orgasmo de sabores". E por ali continua, o manifesto, deixando aqueles que chegam à porta do Mediterra, com uma inquestionável vontade de entrar, de sentar, de provar, e de se deliciar com todos os pratos que por lá se criam.

Chefe Nuno Queiroz Ribeiro
Chefe Nuno Queiroz Ribeiro Foto: Fabiana Kocubey

O espaço é amplo, mais especificamente 680 metros quadrados de área que respira saúde. A inspiração para a decoração, conta à MUST o chef, Nuno Queiroz Ribeiro, "veio da selva Amazónia, da Mãe Terra. Surgiu do facto de querer respeitar os recursos naturais. Quis trazer a Natureza para dentro de um lugar que, só pela vista, já respira Natureza, mar e verde, muito verde". Efetivamente, estamos num espaço que é, indiscutivelmente, visitado pelo sol e saudado pelo mar. É fácil, por ali, sentir-se a chamada de "lufada de ar fresco". E a tranquilidade assumida faz esquecer que estamos no topo de um dos centros empresariais mais agitados da Grande Lisboa. Mas vamos aos pratos, porque, se o ambiente já estava bom, aquilo que Nuno Queiroz Ribeiro vai dar a provar, é de bradar aos céus. De entrada, presenteia-me com os cogumelos marinados em citrinos, uma verdadeira surpresa de sabores e de texturas, "uma festa na boca", como tão bem descreve o chef. Para o prato principal, faz-me duas sugestões: um prato vegetariano, o falafel, "um prato de origem libanesa que aqui assamos no forno, com molho tahini original, o verdadeiro sabor do Médio Oriente". E o polvo, "que tem uma textura diferente, super crocante". Opto pelo primeiro e, confirma-se, foi como se tivesse ido e voltado ao Médio Oriente, numa viagem de paladares com sentido único. Pergunto ao chef quais os pratos que prevê que terão mais saída. E ele enumera: "As puntinilhas salteadas, o camarão kattaifi, e o Mezze, nas entradas. Dos pratos principais destaca: o polvo, o atum, o linguini nero de camarão e puntinilhas, o falafel e o risotto de cogumelos e espargos".

Chefe Nuno Queiroz Ribeiro
Chefe Nuno Queiroz Ribeiro Foto: Fabiana Kocubey




Importante referir que "todos os pratos são acompanhados e confecionados com os legumes e vegetais do nosso cabaz biológico, uma surpresa todas as semanas", acrescenta o chef. A sensação de água na boca move-se em rumo crescente, mas quero guardar-me para a sobremesa, até porque, há um prazer que é aguçado quando se sabe que se vai poder perder a cabeça com "sobremesas deliciosas e sem açúcar" — sim, na dieta mediterrânica, a par de tudo aquilo que esta defende em nome da saúde, não há, obviamente, espaço para os açucares refinados. E Nuno Queiroz Ribeiro dá-me a provar a arrebatadora baklava de nozes e amêndoa, que devoro em poucas colheradas — e sem o peso da culpa — nem na consciência, nem na cintura. No que respeita as bebidas, os menus também são extensos. Há uma vasta carta de vinhos que conta com os néctares do Dão, do Douro, do Alentejo, entre rosés, verdes, e espumantes. Para os mais saudáveis — ou para aqueles que, simplesmente, querem brindar o almoço com alguma coisa mais leve —, há uma seleção de chás e de infusões, sumos de fruta naturais, águas e cervejas. Também há uma lista de licores e de bebidas espirituosas, ideais para um final do dia bem passado (e melhor brindado) naquele terraço com vista para a imensidão do Oceano Atlântico.

"(...) o falafel, “um prato de origem libanesa que aqui assamos no forno, com molho tahini original, o verdadeiro sabor do Médio Oriente”" Foto: Fabiana Kocubey






O Mediterra está em funcionamento de segunda a sexta-feira, à hora de almoço, entre as 12h e as 16h e, para além de contar com o Menu Mediterra à carta, disponibiliza outros dois, nomeadamente, o Menu Alternativo, que inclui Prato, Bebida e Café (12€) e o Menu Executivo, que inclui Couvert, Entrada, Prato Principal e Sobremesa (18,50€). À semana, ao final do dia, haverá ainda uma happy hour, entre as 17h e as 20h, com disponibilização de pratos da carta no bar, vinho a copo ou acesso a três cervejas artesanais de pressão. Aos jantares e fins-de-semana, o espaço encontra-se disponível para qualquer evento através de reserva, sendo o local ideal para eventos empresariais, festas de aniversário, apresentações de marcas, team buidings, entre outros. O restaurante conta, ainda, com uma cozinha equipada para workshops saudáveis de gastronomia, lecionados pelo chef ou por marcas parceiras. Todas as informações dos workshops disponíveis e formas de participação serão disponibilizadas no site do restaurante. Uma experiência para quem adora comer bem e, acima de tudo, para provar comida de verdade, sem adereços ou complicações. Nas palavras do chef — no caso de as minhas não serem suficientes — o que se espera é que se saia com "uma sensação de felicidade provocada por uma experiência de gastronomia aliada à saúde, e ainda com muito prazer à mistura". Eu — e as minhas papilas gustativas — não diríamos melhor.  

Foto: Fabiana Kocubey




MEDITERRA

Horário de Funcionamento: 12h às 16h
Happy Hour: 17h às 20h?
Reservas: 938 394 820?
Morada: Taguspark, Núcleo Central, 100
2740-122 Oeiras

Saiba mais Dieta Mediterrânica, Menu Mediterra, Nuno Queiroz Ribeiro, Dia Mundial da Alimentação, gastronomia, turismo, alimentação, sabores, prazeres
Relacionadas

Como seria a MUST, se fosse um cocktail?

Desafiámos a marca de vodka polaca Belvedere a criar um cocktail único, inspirado na MUST. Clássico, mas com um toque de irreverência, assim é o elixir dos deuses criado pelo bartender Paulo Gomes.

Howard’s Folly: um desvario em Estremoz

Foi bem no centro de Estremoz que descobrimos um espaço surpreendente, que se divide entre adega, restaurante e centro de arte, tudo acompanhado por vinhos de autor, com assinatura reconhecida.

Mais Lidas
Gourmet Qual é o segredo do charme do Bairro Alto Hotel?

Não se pode dizer que os espaços de hotelaria abrem, hoje, à mesma velocidade que os de restauração. Mas a afluência turística elevou a qualidade da oferta a um patamar alto, na capital lisboeta. O que é que torna o reaberto Bairro Alto Hotel tão distinto, convidativo e, enfim, especial?