Prazeres / Sabores

Sala de Corte: o surf & turf que tem de provar

Amantes da carne: este já era o sítio onde ir quando lhe apetece um bom bife, com um bom corte, e os acompanhamentos certos. Agora, o chef Luís Gaspar tem um menu especial dedicado às melhores iguarias nacionais ao nível da carne.

Foto: DR
03 de junho de 2022 | Rita Silva Avelar

Fica na praça Dom Luís I, no número 7, ali a mesmo a desejo de entrar, sentar e almoçar, sem grandes pressas nem cerimónias. A Sala de Corte já é famosa pelas suas carnes de primeira qualidade, mas agora focou-se em promover uma iniciativa quinzenal que vai deixar os fãs das raças autóctones portuguesas a suspirar por lá voltar.

Sala de Corte
Sala de Corte



Nas primeiras semanas houve Maronesa DOP e Barrosã e, ao longo das próximas, o chef Luís Gaspar promete continuar a trazer à steakhouse lisboeta cada vez mais produto nacional, para degustações muito exclusivas, sempre a par daquilo que os clientes procuraram: dali sair bem servidos e de barriga cheia. As raças autóctones portuguesas, que fazem parte do património gastronómico português, são mantidas de 10 a 20 anos para que depois tenham a melhor das qualidades e sabores.

Neste "menu extra" disponível ao almoço e ao jantar, a oferta é viável mediante o stock disponível, e depende não só do stock como da escolha aleatória destas raças, "numa quinzena tanto pode ser uma arouquesa com 10 anos, como na seguinte pode já ser uma mirandesa com 20" esclarece o chef Luís Gaspar.

Sala de Corte
Sala de Corte

À carta juntam-se outras novidades imperdíveis, como o cone de mix de carnes, que é o amuse bouche, ou as entradas que juntam foie gras, brioche, maçã caramelizada com baunilha e vinho Madeira (€22), o tártaro de novilho (€22), delicioso, servido em tostas ou ainda os croquetes de novilho com mostarda Dijon (€4).

O Surf & Turf destas carnes de raças autóctones traz a possibilidade de se acompanhar o corte escolhido - pode ser vazia, picanha, entrecôte, T-bone, lombo, chateaubriand ou chuletón - com carabineiro, com arroz de forno com enchidos do fumeiro, batatas frita e alface coração. Por fim, haverá ainda espaço para degustar a pavlova de frutos vermelhos com sorbet de framboesa e lima ou a tarte de queso. 

Sala de Corte
Sala de Corte

Com um jardim interior onde se pode almoçar - jardim de inverno que também se adapta ao verão - e uma sala clássica, com detalhes de decoração mais sóbrios e elegantes - este torna-se no sítio certo para desfrutar de um bom momento de partilha com amigos à mesa, acompanhando tudo com um vinho a copo em garrafa de grandes formatos. Por último, e como nota fundamental, os cocktails aqui servidos também nos deixam a suspirar por voltar: o pisco sour com alecrim fumado (que é queimado na hora, €11) vai muito bem com as carnes, e para os mais aventureiros a escolha é o negroni envelhecido e trufa (€12,50)

 
Onde? Praça Dom Luís I, 7, Lisboa Quando? De segunda a sexta-feira das 12h às 16h e das 19h à meia-noite (excepto sexta-feira, que fecha à 1h), sábado e domingo das 12h à meia-noite. Reservas 21 346 0030

Saiba mais Sala de Corte, Raças Autóctones, Lifestyle, Carne, Luís Gaspar
Relacionadas

Contra, o restaurante que popularizou de novo as Docas

Há um movimento pronto a devolver às Docas de Santo Amaro, em Lisboa, o hotspot da noite lisboeta, outrora. Na vanguarda desta visão está o Contra, restaurante descomplicado, onde a carta eclética faz o género de todos e os cocktails se bebem como água. No final, é a música que dita quando a noite acaba.

Noites de pole dance e o melhor do México à mesa

Na iminência de completar uma década, o restaurante Las Ficheras regressa às origens e agita o verão na capital, mais precisamente no Cais Sodré, com novos sabores na carta e Sasha como protagonista de um serão que segue com DJs e boa música.

Mais Lidas
Sabores Vinhos para experimentar sem medos (incluindo um com 16,5% de álcool)

O São Martinho já lá vai, mas neste mês ainda se fazem aguardentes e, no vinho, escoam-se os excessos da chuva para não prejudicar as cepas. Dois tintos alentejanos da mesma casta para comparar e um outro clássico da região. A norte, uma produção exclusiva, um branco de excelência e um conhaque com nome e história.