Prazeres / Sabores

Festival gastronómico de Santarém à vista ( e com jantares exclusivos)

Entre 21 de outubro e 1 de novembro, reúnem-se em Santarém iguariais confecionadas por 24 chefs, a par de várias masterclasses com mixologistas e sommelliers e stands de produtos nacionais, sem esquecer a animação musical.

A carregar o vídeo ...
21 de outubro de 2022 | Ana Filipa Damião

A Casa do Campino recebe mais uma vez um dos eventos mais antigos de Portugal, o Festival Nacional de Gastronomia de Santarém, que arranca hoje, 21 de outubro, e se prolonga até 1 de novembro. O grande objetivo desta 41ª edição - inserida no programa Santarém Capital da Gastronomia e com a curadoria do chef Rodrigo Castelo, do restaurante Ó balcão e embaixador para a gastronomia da cidade - passa por defender os tradicionais petiscos de que tanto gostamos, ao mesmo tempo que abraça a modernidade e novas técnicas que se trabalham hoje em dia nas cozinhas mais conceituadas do país.

O festival terá um recinto interior e outro exterior
O festival terá um recinto interior e outro exterior Foto: D.R
Durante doze dias, a "capital ribatejana" enche-se de atividades para todos os gostos, com showcookings, masterclasses com chefs, sommelliers e mixologistas nacionais, artesãos ao vivo, fóruns de debate, stands de expositores do setor animal, muita música e, claro, uma zona de iguarias, estilo tasquinha. Aliás, a área de petiscos, que estará a cargo de 24 chefs de diferentes regiões do país, será sem dúvida uma das mais cobiçadas do festival, pois é alí que os visitantes poderão "comer e chorar por mais" com as criações de Noélia Jerónimo, Vasco Coelho dos Santos, Marlene Vieira, Luís Gaspar, Ricardo Mugasa, Ana Moura, Cláudio Pontes e Hugo Nascimento, apenas para dar a conhecer alguns dos chefs que irão estar presentes. Já estamos com água na boca?

Os jantares exclusivos com chefes de restaurantes com estrela Michelin é outra das grandes novidades da edição de 2022, em que Rodrigo Castelo desafiou nomes como João Oliveira, Henrique Sá Pessoa, Pedro Lemos e Diogo Rocha a criarem um menu inspirado na região onde nasceram. 

Os jantares exclusivos irão contar com nomes como João Oliveira, Henrique Sá Pessoa, Pedro Lemos e Diogo Rocha
Os jantares exclusivos irão contar com nomes como João Oliveira, Henrique Sá Pessoa, Pedro Lemos e Diogo Rocha Foto: D.R

O que também não pode faltar é a zona da restauração, que terá oito restaurantes ao longo do festival - Do Dia pra Noite (Madeira), José do Rego (Açores), Torres (Braga), Académico (Bragança), Aleluia (Oeste), Tentações da Montanha (Porto), Costa (Vila Real) e Lampião de Évora (Alentejo) - nem a da padaria e doçaria. Porque português que é português, tem sempre pão em casa e nunca dispensa um bom pastel de nata.

O festival terá zonas dedicadas à padaria e à doçaria
O festival terá zonas dedicadas à padaria e à doçaria Foto: D.R

Para os fãs de enoturismo, nada temam, pois as regiões vitivinícolas de Portugal não foram esquecidas. A Garrafeira, área dedicada às bebidas, terá produtos emblemáticos de cada região e a curadoria do sommellier Rodolfo Tristão, sem descurar os destilados, os cocktails e ainda os mocktails. E para terminar o dia, porque não sentarmo-nos no recinto exterior enquanto saboreamos uma bela francesinha das bancas de Street Food, ao mesmo tempo que ouvimos ao vivo a batida eletrónica dos DJ's ou as melodias das bandas e ranchos portugueses?

O festival terá um recinto interior e outro exterior
O festival terá um recinto interior e outro exterior Foto: D.R
Onde? Casa do Campino, Santarém. Quando? De 21 a 31 de outubro, do meio-dia à meia-noite, e a 1 de novembro, do meio-dia às 18h30. Preços: De segunda a sexta-feira a entrada é livre até às 18h30, e depois tem o custo de €2,5, (exceto para menores de 18 anos). Sábados, domingos e feriados o bilhete custa €2,5. Mais informações aqui
Saiba mais Festival Nacional de Gastronomia de Santarém, Gastronomia, Santarém, Vinho, Petiscos, Estrela Michelin
Relacionadas
Mais Lidas
Sabores Vinhos para antecipar os dias frios

A cerca de um mês para o início do Inverno, com as vinhas a descansar, começa-se a preparar o tempo que pede brindes caseiros. Um tinto de parcela do Douro e, da mesma região, um monocasta. Um branco topo de gama do Oeste e dois tintos de Alenquer e de Pias. Um espumante de Bucelas fecha o ciclo.