Viver

O melhor momento para acumular milhas? Quando os aviões estão em terra

A pandemia fez com que cerca de 30% dos aviões mundiais se mantivessem em terra. Contudo, de acordo com Ajay Awtaney, fundador do maior site de milhas aéreas da Índia, este pode ser o melhor momento para os membros dos programas de fidelidade gastarem ou acumularem milhas.

Foto: Photo by Suhyeon Choi on Unsplash
26 de outubro de 2020 | Bloomberg

"A oportunidade de viajar diminuiu, mas de ganhar milhas não", confessou Awtaney à Bloomberg, reforçando que "as companhias aéreas têm oferecido mais incentivos, e que as pessoas deveriam aproveitar esta oportunidade, porque as milhas não perderam valor."

Mesmo com os passageiros presos em casa, as companhias aéreas continuam a lançar ofertas para os seus clientes acumularem milhas de forma mais barata, ou obterem grandes descontos. A British Airways anunciou recentemente uma promoção em que, por metade das milhas normalmente exigidas, os passageiros poderiam realizar viagens.

Muitas das companhias estenderam a validade do estatuto de elite, reduziram os requisitos necessários para a subida de nível e eliminaram a validade de pontos, uma vez que alguns países restringiram as entradas e saídas ou tornam as viagens menos atraentes devido à quarentena obrigatória.

Para sobreviverem à pandemia e compensarem as suas perdas financeiras, as companhias aéreas lançaram estas medidas. Os programas de fidelidade são uma fonte de lucro, daí que se realizem ofertas aos membros, com o objetivo de os trazer de volta ao mundo das viagens.

Estes programas assumem-se como essenciais para as empresas de aviação, que por falta de fundos convertem aviões em restaurantes e organizam voos turísticos sem destino algum. Os seus projetos inovadores têm já muitos seguidores, que anseiam por novas recompensas e desenvolvimentos, o que pode representar uma nova fonte de receita para as companhias.

O setor enfrenta uma crise sem precedentes, no entanto, a IAG - dona British Airways, conseguiu obter cerca de 1 bilhão de dólares com a venda de pontos para a American Express.Por outro lado, companhias como a Delta Air Lines e a United Airlines ofereceram os seus programas como garantia para os seus empréstimos e títulos.

Atuamente algumas das companhias estão a ganhar mais com programas de fidelidade do que com voos. A divisão de fidelidade da Qantas Airways foi a sua maior fonte de receita neste ano controverso. A operadora australiana espera registar um lucro de 600 milhões de dólares australianos (cerca de 360 milhões de euros) até junho de 2024, quase o dobro do valor registado atualmente.

Singapore Airlines, Cathay Pacific Airways e Qantas são algumas das companhias com os programas de milhas mais valiosos, graças ao poder das suas marcas, segundo a OAG Aviation Worldwide.

Saiba mais Bloomberg, Awtaney, transportes, aviação, turismo, viagens, economia, negócios e finanças, companhias aéreas
Relacionadas
Mais Lidas
Viver O elogio ao homem feio

Num confronto fictício entre Brad Pitt e Javier Bardem, quase todas as mulheres torceriam pelo actor americano em detrimento do espanhol, certo? Errado. Afinal, até pode ser dos menos bonitos que elas gostam mais.