Prazeres / Lugares

Sete praias fluviais para ir a banhos no interior

Quem disse que as férias no campo não podem ser também sinónimo de praia? Em rios, ribeiras ou barragens, são inúmeros os locais onde se pode ir a banhos e porque o fim do verão ainda está longe, aqui ficam algumas sugestões de norte a sul.

Praia fluvial do Pego Fundo, Faro.
Praia fluvial do Pego Fundo, Faro. Foto: Miguel Judas
24 de agosto de 2021 | Miguel Judas

Praia da Loriga, Seia, Guarda

Só pela beleza da paisagem, a única praia do país assente sobre um vale glaciar merece ser visitada. Localizada em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, é banhada pelas águas da Ribeira de Loriga, afluente do rio Alva, que nasce no planalto superior da serra da Estrela e aqui corre fresca e cristalina. Nos arredores existem vários percursos pedestres e diversos pontos de interesse, como a vila de Loriga, também conhecida como a "Suíça Portuguesa" ou as montanhas da Penha dos Abutres (1828 m) e da Penha do Gato (1771 m).

Senhora da Piedade, Lousã, Coimbra

Praia fluvial da Senhora da Piedade, Coimbra.
Praia fluvial da Senhora da Piedade, Coimbra. Foto: Miguel Judas

Nascida apenas algumas centenas de metros acima, no topo da serra da Lousã, esta ribeira, afluente do Ceira, cai aqui sob a forma de uma pequena cascata, formando uma piscina natural que é desde há muito um dos principais cartões-de-visita do concelho da Lousã. E mesmo quando a piscina propriamente dita se encontra mais cheia, como habitualmente acontece ao fim-de-semana, basta apenas caminhar alguns metros para montante, ao longo das ruínas das velhas azenhas, para aí se conseguir um quinhão de paraíso.

Fragas de São Simão, Figueiró dos Vinhos, Leiria

Praia fluvial de Fragas de São Simão, Leiria.
Praia fluvial de Fragas de São Simão, Leiria. Foto: Miguel Judas

Encavalitada numa encosta, sobre um imenso vale, a Aldeia do Xisto de Casal de São Simão é o ponto de partida de um bonito percurso pedestre que percorre a margem da Ribeira de Alge, ao longo de levadas e antigas azenhas. O destino final são as imponentes Fragas de São Simão, uma grandiosa escarpa rasgada pela força da água, que aqui forma uma aprazível praia fluvial, irresistível quando o tempo está quente.

Açude Pinto, Oleiros, Castelo Branco

Praia fluvial do Açude Pinto, Castelo Branco.
Praia fluvial do Açude Pinto, Castelo Branco. Foto: Miguel Judas

Bastante próxima do centro da vila de Oleiros, esta zona balnear é banhada pelas águas correntes da ribeira com o mesmo nome da vila. Com muitas sombras e rodeada de relva, conta com duas piscinas, uma para crianças e outra, mais profunda, para os adultos. Está equipada com parque infantil, zona de merendas, parque de campismo e nem sequer falta um pequeno areal com guarda-sóis de palha.

Alamal, Gavião, Portalegre

Guardada do outro lado do Tejo pelo sempre vigilante Castelo de Belver, a praia do Alamal surpreende de imediato pela sua beleza natural. O acesso faz-se por uma estreita estrada, com o rio em fundo, que serpenteia pela encosta até junto à antiga Quinta do Alamal. Há toldos e espreguiçadeiras para alugar, bem como gaivotas e caiaques. Obrigatório é um passeio pelo passadiço de madeira, que percorre a margem até à ponte de Belver, inaugurada em 1907 e que ainda hoje é o principal acesso à localidade para quem vem de sul.

Tapada Grande, Mértola, Beja

Praia fluvial da Tapada Grande, Beja.
Praia fluvial da Tapada Grande, Beja. Foto: Miguel Judas

Com um areal dourado rodeado de relva, guarda-sóis de palha, esplanada e uma pequena multidão a banhos, enquanto outros exploram as redondezas em gaivotas e caiaques, o cenário não é muito diferente do que se encontra em qualquer praia do litoral. Construída em 1982, junto à Mina de São Domingos, a pequena barragem da Tapada Grande foi inicialmente utilizada para abastecimento público da aldeia e do complexo mineiro, mas hoje é mais conhecida pela moderna e bem equipada praia fluvial, que nos últimos anos se transformou numa das maiores atrações da margem esquerda do Rio Guadiana.

Pego Fundo, Alcoutim, Faro

Praia fluvial de Pego Fundo, Faro.
Praia fluvial de Pego Fundo, Faro. Foto: Miguel Judas

Num dos poucos concelhos do Algarve sem acesso ao mar também se vai à praia. Fica bem perto do Guadiana, na Ribeira de Cadavais, a apenas 500 metros da vila, onde uma represa forma um pequeno lago, rodeado de um areal dourado que contrasta com o verde dos canaviais circundantes. Com águas calmas e quase rasas, é um local perfeito para as crianças se banharem em segurança. Na área envolvente existe um jardim relvado e cheio de sombras, com bar e esplanada, parque de merendas e duches.

Saiba mais Castelo de Belver, Guarda, Ribeira de Loriga, Lousã, Serra da Estrela, Rio Guadiana, Oleiros, Quinta do Alamal, Tapada Grande, estilo de vida e lazer, praia fluvial férias, verão, turismo, Portugal
Relacionadas

Um brunch à moda do Porto, com um toque intercontinental

Aos fins de semana, é tempo de relaxar no novo espaço do restaurante Astoria, o Pátio das Cardosas Terrace & Lounge, onde é possível provar clássicos de brunch, como os ovos benedict, mas também sobremesas bem portuenses, como rabanada com calda de vinho do Porto.

Mais Lidas
Lugares Um quarto com vista para a planície

Numa herdade em Nossa Senhora de Machede há um refúgio alentejano com piscina, restaurante e jardim que acaba de ser renovado. A desculpa perfeita para visitar o interior do país e desfrutar das férias a sul.

Lugares Já há casas no meio do oceano. São as Sea Pods

Imagine viver por cima do mar, numa casa flutuante, com vista privilegiada… a ajudar o ambiente. Parece um sonho, mas é uma realidade. São casas criadas pela empresa Ocean Builders que demonstram o potencial do design futurístico, clean e orgânico – e também como viver no meio do oceano pode ser mais confortável do que em terra.