Estilo / Beleza & Bem-Estar

Stress. Como o sintoma do século XXI altera a aparência

Para além de surgir de várias maneiras e de colocar o corpo em constante alerta, o stress altera, e muito, a aparência. Pele baça e cabelos brancos são alguns dos sinais a que deve estar atento. 

Filme: Top Gun Maverick (2022)
Filme: Top Gun Maverick (2022) Foto: IMDB
27 de maio de 2022 | Ana Francisca Oliveira

O stress é sintoma que nos afeta a todos, pelo menos em algum momento da vida, sobretudo quando a idade adulta chega. Uma noite de sono má, fatores ambientais ou uma simples gripe colocam o corpo em stress, alterando o nível hormonal normal. Conjugando isto com a pressão constante para uma aparência jovem, o stress pode causar inseguranças. O corpo alerta quando necessita de descanso, e alguns sintomas não são de imediato associados ao stress. 

Como o stress afeta o cabelo

Queda de cabelo em quantidades moderadas é saudável, mas se nota que está a perder mais cabelos do que o normal, o mais provável é que essa queda seja induzida por stress. Este fenómeno tem o nome de eflúvio telógeno. A boa notícia é que é reversível, e em poucos meses é possível recuperar o cabelo. Um dos maiores indicadores de que o stress está a dominar a sua vida é o aparecimento de cabelos brancos. Apesar de surgirem com o tempo, quando são prematuros podem causar inseguranças. Uma hormona característica do stress, a norepinefrina, causa a perda de células que produzem pigmento à volta do folículo capilar, levando aos cabelos brancos. A alopecia causa grandes falhas de cabelo ou de barba (este foi, aliás, um tema polémico nos Óscares deste ano). Esta doença afeta o sistema imunitário, e faz com que este ataque os folículos capilares.

Como o stress afeta a pele

O stress eleva os níveis de adrenalina e de cortisol, provocando uma produção excessiva de sebo, o que amplifica, e muito, a probabilidade da acne. Estas hormonas não só desregulam o corpo como diminuem as "boas" batérias presentes na pele. Uma boa rotina de pele e a ingestão de probióticos podem ser a solução para este problema. Altos níveis de stress enfraquecem também a barreira protetora da derme e as suas funções normais, desidratando, excessivamente, a pele. Não só provoca perda de brilho, como textura irregular.

Apesar de ser maioritariamente induzida por excesso de exposição solar, a hiper pigmentação também pode ser potenciada por desequilíbrios hormonais. No entanto, não é só o stress interior que causa este problema dermatológico: os fatores de stress ambientais têm o seu peso. Poluição e fumo do tabaco podem causar oxidação da pele, levando à descoloração da mesma. Todos estes sintomas podem ser agravados com a elevação dos níveis de cortisol, que retardam o processo de cura da própria pele, ao diminuirem os níveis de colagénio, que mantêm a pele firme e elástica.

Saiba mais Bem-estar, Aparência, Stress, Beleza
Relacionadas

Assim se transforma o corpo depois de deixar de fumar

Para além de ser um peso na sua carteira e uma melhoria da aparência, fumar é extremamente prejudicial à sua saúde e de quem o rodeia. Descubra os efeitos positivos no seu corpo depois de deixar os cigarros para trás.

Mais Lidas
Beleza & Bem-Estar 7 protetores solares para um verão descomplicado

A fotoproteção deve ser obrigatória, já os protetores que deixam a pele esbranquiçada, com texturas massudas e embalagens difíceis, nem tanto. Conheça as fórmulas ultraligeiras, as brumas transparentes e os sticks de bolso, que pensam na pele e no tempo que não temos.