Viver

Será que devemos confiar em ficheiros suspeitos que nos são enviados?

A resposta é não. A menos que conheça a pessoa, as probabilidades de ser algum vírus ou potencialmente algo que possa aceder aos seus dados pessoais não são assim tão pequenas.

Foto: Photo by Mika Baumeister on Unsplash
16 de outubro de 2020 | Inês Esteves

Se um amigo nos envia algum documento ou fotografia por mensagens, seja do Instagram, Whatsapp ou mesmo por SMS, à partida, não é alarmante. Mas, alguma vez já recebeu uma mensagem que não soa de confiança? Saiba que pode já ter estado em contacto com algum vírus ou programa malicioso que tem o potencial de lhe roubar as informações.  

Ainda há pouco tempo houve um acontecimento dessa natureza no Instagram – uma "fotografia maliciosa" que danificava os dispositivos e tinha acesso a dados pessoais, revelou o Facebook. Já a Check Point afirmou que podia até levar ao acesso à câmara e microfone do aparelho, como confirma a Forbes. Tratava-se de uma fotografia que era enviada à vítima, e a própria fotografia aliciava a que fosse guardada no telemóvel.

"Pensem duas vezes antes de guardar fotografias no vosso telemóvel, estas podem ser "cavalos de Tróia" criados por hackers para invadirem o telemóvel (…) demonstramos isso com o Instagram mas esta vulnerabilidade pode acontecer com outras aplicações" disse Ekram Ahmed (da Check Point) à Forbes. Ou seja, ver a fotografia pela plataforma onde foi enviada, no Instagram, por exemplo, não faz mal, porque à partida há segurança dentro da aplicação. O problema é quando se faz o download da dita fotografia do Instagram, para o nosso dispositivo. Nesse caso, estamos a abrir a porta a vírus e a hackers.

Para evitar estas ameaças cibernáuticas, o Whatsapp está a desenvolver uma função que faz com que um ficheiro, após visualizado pelo utilizador, desapareça.

Receber fotografias não é sempre significado de perigo, no entanto, o Whatsapp comprime o tamanho das fotografias e retira os dados de localização das mesmas (assim, não sabemos de onde vem, e aí pode ser perigoso).

Saiba mais Whatsapp, Instagram, Check Point, Forbes, ciência e tecnologia, Internet, perigos, vírus
Relacionadas
Mais Lidas