Prazeres / Drive

Já viu por aí este carro, o Lynk & Co 01?

Pois, é natural que não. Para todos os efeitos, ainda não é vendido em Portugal. Trata-se de um SUV plug-in chinês, “primo direito” do Volvo XC40, que tivemos a oportunidade de testar em Madrid – a marca Lynk & Co está a lançar-se em Espanha e antes de 2023 não virá para Portugal – infelizmente...

Foto: Lynk & Co
01 de julho de 2022 | Luís Merca

Em primeiro lugar, o que é a Lynk & Co?

É uma marca sino-sueca (ou sueco-chinesa, embora a ordem dos factores não seja necessariamente arbitrária) que pertence à holding Geely Automobiles, também detentora da sueca Volvo. Fundada em 2016 em Gotemburgo (sede, precisamente, da "prima" Volvo), a Lynk & Co assumiu-se desde logo como uma marca que aposta fortemente na conectividade, na tecnologia e num modelo de comercialização inovador (já lá iremos), além de se dirigir a um público-alvo mais jovem que o do fabricante sueco. Mas não faz mal nenhum aproveitar o ‘know-how’ automóvel da Volvo, que já cá anda há umas décadas consideráveis (95 anos, para sermos exatos) e que sabe, de facto, fabricar automóveis.

Design Exterior Lynk & Co 01
Design Exterior Lynk & Co 01 Foto: Lynk & Co

E o "01" significa o quê?

Logicamente, identifica o primeiro modelo da marca, um ‘crossover’ de cinco portas, que partilha a plataforma tecnológica CMA (Compact Modular Architecture) com o Volvo XC40, além de utilizar os mesmos motores, sistemas de segurança e arquitetura de eletrificação. Apresentado em 2017 no Salão Automóvel de Shanghai, o modelo 01 entrou em produção nesse mesmo ano e recebeu um ‘facelift’ quatro anos depois, em 2021, altura em que foi lançado no mercado europeu (má altura para lançar uma nova marca e um novo produto, com o planeta mergulhado numa pandemia).

Lynk & Co 01
Lynk & Co 01 Foto: Lynk & Co

Primeiro contacto

Com um design bem apurado e uma elevada qualidade apercebida de materiais e acabamentos, o 01 apresenta linhas marcadas, uma silhueta com personalidade e medidas adequadas às preferências europeias: 4.54 m de comprimento, 1.86 m de largura, 1.69 m de altura e uma distância entre eixos (2.73 m) que indicia logo à partida espaço suficiente no interior. Cinco adultos viajam perfeitamente e ainda há 466 litros para bagagens (até um máximo de 1213). O peso do automóvel em vazio – pode estar "vazio" de pessoas e bagagem, mas está cheio de eletrónica e de ‘gadgets’ de toda a espécie e feitio – é que se ressente da generosa oferta de equipamento e atinge uns elevados 1879 kg. A lista de equipamento de série é extensa e resume-se mais ou menos assim: aquele opcional que acabou de chegar ao mercado? Ele tem.

Cockpit e Consola Lynk & Co 01
Cockpit e Consola Lynk & Co 01 Foto: Lynk & Co

A motorização também contribui e muito para o excesso de peso, com a versão europeia a oferecer apenas soluções híbridas: um mild-hybrid e o PHEV (plug-in hybrid) que testámos. Um motor relativamente pequeno (3-cilindros a gasolina com 1477 cm3 de cilindrada), ao qual se junta o motor elétrico para o conjunto atingir a potência combinada de 261 cavalos. Em modo 100% elétrico, o 01 percorre 69 km (ou 81 km se apenas em trânsito de cidade), mas nunca atingirá esta quilometragem se circular à velocidade máxima de 210 km/h (nem a acelerar dos 0 aos 100 em 8 segundos). Todos estes números, no entanto, são perfeitamente aceitáveis e encontram-se ao nível do que de melhor a concorrência está a fazer. Já o carregamento completo da bateria faz-se em cinco horas, numa tomada doméstica, ideal para o deixar a carregar durante a noite e aproveitar as tarifas de eletricidade mais baixas.

Teto panorâmico Lynk & Co 01
Teto panorâmico Lynk & Co 01 Foto: Lynk & Co

Ao volante

Tratou-se de um test-drive necessariamente curto, mas ficou a promessa da marca em repetirmos ainda este ano. Não obstante, deu para tomar o pulso a um automóvel confortável, seguro, que dispõe de ‘punch’ suficiente para uma condução mais desportiva se for esse o desejo. Destaque para o comportamento da carroçaria, que curva praticamente "em plano", e para a travagem (a regenerativa e a outra) que consegue parar em segurança um automóvel que, carregado e com quatro pessoas a bordo, ultrapassa largamente as duas toneladas.

No modo 100% elétrico, o silêncio no habitáculo é absoluto, uma prova de que os materiais de isolamento e a qualidade dos acabamentos são de alto nível, o que não poderia deixar de ser – quando se quer ombrear com a concorrência premium, há que começar por ser premium. O conforto em andamento é irrepreensível e toda a ambiência interior emana calma e bem-estar.

Carregamento Lynk & Co 01
Carregamento Lynk & Co 01 Foto: Lynk & Co

Inovação na comercialização

Ponto negativo: para os portugueses, só lá para 2023. Ponto positivo: quando se lançar em Portugal, e irá definitivamente lançar-se em Portugal, a Lynk & Co trará consigo uma filosofia comercial e um modelo de negócio inovadores. A relação entre a marca e o consumidor – particular ou empresarial – será direta, o que significa que a Lynk & Co abdica do modelo baseado em concessionários. Daí a tal aposta na conectividade, na internet, nas novas tecnologias: se existe todo um novo mundo que permite novas formas de comprar e vender (não tanto carros, mas mais o serviço de utilização desses carros), por que não aproveitar isso?

Ainda sem preços para Portugal, fica como exemplo o modelo que está a ser aplicado aqui ao lado, em Espanha: por 500 euros mensais, IVA incluído, o "utilizador" (não necessariamente o "proprietário") do Lynk & Co 01 pode desfrutar do produto e até fazer algum dinheiro com ele, cedendo-o a outros "utilizadores" quando não o está a utilizar. No fim de contas, está provado que o "nosso" automóvel passa 94% da sua vida útil parado, estacionado à porta de casa ou do emprego...

Saiba mais Prazeres, Drive, Carros, Lynk, Lynk & Co 1, Carros, SUV, Condução, Madrid
Relacionadas

Opel Corsa: a ternura dos 40

Lançado em 1982, o Opel Corsa já se tornou um clássico da história do Automóvel. Quarenta anos e seis gerações depois, continua a povoar as nossas ruas, estradas, auto-estradas, ultrapassando já a fasquia dos 14 milhões de unidades vendidas.

O quadriciclo elétrico mais vendido do mundo custa menos de 10 mil euros

O modelo da marca francesa de automóveis não só é fácil de estacionar, como pode ser conduzido a partir dos 16 anos. A Citroën oferece a possibilidade de total personalização, abrindo o elétrico ao mercado profissional. Falamos, claro, do Citroën AMI, que até já chamou à atenção do mercado chinês, que o copiou por cerca de 2000 euros.

Peugeot 104: o anti-R5 faz 50 anos

Em janeiro de 1972, os alarmes tinham soado em Sochaux: a Renault ia lançar o R5. Em setembro, a Peugeot apresentava o antídoto no Salão de Paris: o Peugeot 104.

Os Peugeots do Eliseu

Julho é mês de Revolução Francesa, ‘allons enfants de la Patrie’, e ao dia 14 ‘Monsieur le Président’ sai à rua para o desfile da Festa Nacional. Vai formoso e seguro, a bordo da viatura oficial. E várias já foram fornecidas pela Peugeot.

BMW M: 50 anos (passam) a correr!

Além de fazer competir os carros do fabricante de Munique há 50 anos, a divisão M também constrói modelos BMW de alta performance. Venham os próximos 50!

Mais Lidas
Drive Ainda se lembra do Opel Kadett?

As efemérides são assim: parte-se do presente, viaja-se até ao passado e lá se encontra (mais) um marco da história do Automóvel. Em 1962, nascia o Opel Kadett.

Drive Já viu por aí este carro, o Lynk & Co 01?

Pois, é natural que não. Para todos os efeitos, ainda não é vendido em Portugal. Trata-se de um SUV plug-in chinês, “primo direito” do Volvo XC40, que tivemos a oportunidade de testar em Madrid – a marca Lynk & Co está a lançar-se em Espanha e antes de 2023 não virá para Portugal – infelizmente...