Viver

Zoom, Teams ou Google Meet? Uma delas é a melhor plataforma de videoconferências

Com a instalação desta nova realidade com a pandemia, veio o teletrabalho e as reuniões em videoconferência. Há uma plataforma que continua a ser líder, ganhando agora vantagem pelas novas características anunciadas.

Foto: Foto de Anna Shvets no Pexels
16 de outubro de 2020 | Inês Esteves

Uma competição que começou com os meses de confinamento, em que o Zoom, a Microsoft Teams e o Google Meet estavam em constante disputa para "melhor plataforma de videoconferência", que o Zoom sempre liderou mas que, agora, é com distinção, com o lançamento de uma série de novas ferramentas.

Para começar, é de referir a nova característica de encriptação da chamada de Zoom, que é opcional e que pode ser ativada, se assim quisermos. Esta pode ser ligada e desligada pelo anfitrião da chamada, de reunião em reunião. Pode ser usada, por exemplo, para conversas com temas mais sensíveis, em que sintamos que necessitem de uma segurança extra.

Entre estas caraterísticas novas do Zoom está o OnZoom, uma plataforma para os utilizadores criarem e organizarem eventos gratuitos, pagos ou de angariação de fundos (por enquanto está disponível a versão beta apenas para utilizadores dos Estados Unidos) e que inclui também um painel de controlo dos participantes para poder gerir os eventos e marcas favoritas. Esta nova função veio melhorar a experiência Zoom agora que passamos mais tempo em casa, já que complementa a nossa experiência de eventos, ao dar-nos mais oportunidades de poder participar neles.

A Microsoft Teams já tinha esta função e, agora, também o Zoom a tem: chama-se Zapps e alia outras aplicações diretamente à plataforma, ou seja, facilita o teletrabalho para quem tem que realizar várias funções ao mesmo tempo.  O objetivo é que esta se assemelhe a uma "estrutura de escritório", já que ao trabalhar, vai ser possível aceder a outras aplicações dentro do Zoom.

A nova função Zapps
A nova função Zapps Foto: Zoom Video Communications




Para que a chamada se assemelhe o mais possível à realidade presencial, a funcionalidade Immersive Scenes deixa que o anfitrião escolha uma fotografia de fundo ou um layout, levando a que todos os participantes na reunião estejam incorporados no mesmo ambiente. Pode ser um fundo que imite uma sala de aula ou uma sala de audiências, por exemplo.

Agora, as Zoom Rooms também têm uma "smart gallery" que beneficia de tecnologia de inteligência artificial e que apresenta uma "visão em galeria" que por sua vez permite que a comunicação "cara a cara" seja mais otimizada entre pessoas em teletrabalho e entre trabalhadores que estão fisicamente no escritório. 

Há mais novas caraterísticas que o Zoom nos oferece, nomeadamente algumas com controlo de voz, entre outras outras. Apesar da concorrência ser igualmente tecnológica, o Zoom continua à frente. E mais: com o lançamento da tecnologia de encriptação das chamadas (depois de ter sido criticado pelos problemas de segurança) vai certamente continuar a beneficiar do primeiro lugar.

Saiba mais Zoom Rooms, Microsoft Teams, Zapps, tecnologia, pandemia, conferências, Google Meet, tecnologias de informação, Informação sobre empresas, ciência e tecnologia
Relacionadas
Mais Lidas
Viver Como a pandemia fez crescer o adultério

Flirtar através de sms, andar “à caça” nos sites de encontros, entusiasmar-se online… Sem que se passe verdadeiramente ao ato, engana-se o tédio ou testam-se os limites de um casal, e abre-se uma janela para os desejos mais profundos.