Viver

10 filmes 'pandémicos' para ver em quarentena

Se está em casa por indicação de quarentena – ou porque decidiu não sair - eis alguns filmes que pode aproveitar para (re)ver.

Jude Law, no filme Contágio.
Jude Law, no filme Contágio.
13 de março de 2020 | Rita Silva Avelar

O avanço do novo coronavírus a que a comunidade científica chamou, oficialmente, de Covid-19 é motivo para seguir à risca as medidas de prevenção e contenção recomendadas a nível mundial e à escala de cada Governo. A 11 de março, a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de pandemia após o vírus ter tomado novas proporções. Caso esteja em casa por prevenção, ou tenha indicação para entrar em quarentena – neste caso, são 14 dias – precisará de se distrair e alhear (nem que seja por uma hora) do pânico que vem por acréscimo a uma situação alarmante como é o caso da que vivemos à escala mundial.  Segundo um artigo da revista Vulture, há pelo menos 58 filmes que se enquadram no tema "pandemia". Elegemos 10, para ver agora.

Contágio, 2011

Realizado por Steven Soderbergh, é um dos filmes mais bem recebidos pela crítica dentro do tema. O mundo inteiro, desde a comunidade científica, passando pelo Governo até aos comuns dos morais, encontra-se no epicentro de uma epidemia mundial, enquanto a CDC (Centers for Disease Control and Prevention) luta para encontrar uma cura. No elenco estão atores como Matt Damon, Kate Winslet, Jude Law, Josie Ho e Gwyneth Paltrow.

A gripe, 2013

Neste filme sul-coreano de Sung-su Kim, o vírus mortal H5N1 começa a espalhar-se pela cidade de Bundang, matando aqueles que o contraem em 36 horas. A população de quase 1 milhão de residentes está subitamente em risco de ser exterminada em massa. 

A Gripe, de 2013, realizado por Sung-su Kim.
A Gripe, de 2013, realizado por Sung-su Kim.

Virus, 2019 

Este filme indiano, realizado por Aashiq Abu, é baseado em factos verídicos decorridos aquando do surto do vírus Nipah, em 2018, em Kerala e no esforço de mobilização da comunidade local para impedir a sua disseminação. 

Pandemia, 2009

David e Alex Pastor são os realizadores deste filme (no original Carriers) que conta a história de um grupo de quatro amigos que tentam sobreviver a uma pandemia, quando se apercebem que eles próprios são mais perigosos que o potencial viral da mesma. A caminho de um motel, tentam afastar-se de multidões e potenciais infetados, mas nada corre como esperam. Chris Pine, Piper Perabo e Emily VanCamp estão no elenco.

Filme Pandemia (Carriers) de 2009.
Filme Pandemia (Carriers) de 2009.

WWZ – Guerra Mundial (2013) 

Brad Pitt e Mireille Enos são os protagonistas deste épico filme de contágio, realizado por Marc Forster, que apresenta, muito provavelmente, a maior quantidade de zombies alguma vez exibidos num só filme. Em World War Z, nome original do filme (que também é o nome de um videojogo) Pitt interpreta um ex-investigador das Nações Unidas que concorda em percorrer o cenário infetado para encontrar a fonte do surto e, esperançosamente, uma cura antes que todos sejam contagiados.

Doze Macacos, 1995

Um dos mais bem classificados filmes sobre apocalipse é o Doze Macacos (12 Monkeys) de Terry Gilliam, com Bruce Willis, Madeleine Stove, Jon Seda e Brad Pitt. Este filme de ficção científica é sobre um homem que é enviado de volta no tempo a partir do ano de 2035 para parar uma pandemia que acabará com a maior parte da população mundial e forçará os sobreviventes a viver no subsolo, um desastre que começará em 1996.

Brad Pitt e Bruce Willis em 12 Macacos.
Brad Pitt e Bruce Willis em 12 Macacos.

Os filhos do homem, 2006

É um clássico, de Alfonso Cuarón. Uma doença misteriosa leva todas as mulheres do mundo a abortar no início dos anos 2000 e, durante quase 20 anos desde esse momento (que acontece na mesma época de uma pandemia de gripe altamente mortal) nenhuma criança nasce. O mundo, que se tornou infértil, mergulhou no caos, mas se existir esperança para a humanidade está em Theo Faron (Clive Owen) e na sua mulher ativista (Julianne Moore).

A ameaça de Andrómeda, 2008 

Com argumento baseado no livro de Michael Crichton, a história deste filme centra-se num grupo de cientistas que são trazidos para a cidade de Piemonte, Novo México, após a queda de um satélite do Governo quase matar todos os residentes desta. O filme, que envolve alienígenas, trouxe novidade para a época – foi realizado em 1971 por Robert Wise – e tem no elenco atores como James Olson, Arthur Hill ou David Wayne. 

Slither, 2006 

Escrito e realizado por James Gunn (foi, aliás, a sua estreia como realizador) o enredo de Slither passa-se numa pequena cidade que subitamente é invadida por uma comunidade zombie. Nathan Fillion, Elizabeth Banks e Michael Rooker são os protagonistas deste filme de terror que tem um toque de comédia e onde os humanos ganham contornos monstruosos. 

The Crazies – Desconfia dos teus vizinhos, 2010 

Um remake do filme de 1973, de George A. Romero, em The Crazies - Desconfia dos teus vizinhos, Timothy Olyphant é um xerife da cidade de Iowa onde as pessoas se transformam em psicopatas assassinos depois de um avião se despenhar e espalhar um vírus contagioso. Os poucos que não foram infetados, tentam, a todo o custo, escapar e pôr-se a salvo.

Saiba mais Filmes, Pandemia, Quarentena, Cinema, Vírus, Gripe, Contágio, 12 macacos, The Crazies
Relacionadas

11 regras para trabalhar em casa (e não dar em maluco)

A sua empresa prepara-se para o mandar trabalhar para casa – se é que já não foi – mas fazê-lo pode não ser muito fácil, especialmente para quem não está habituado. Aqui ficam 11 regras para ser (ainda) mais produtivo.

Mais Lidas
Viver Sexo casual é bom e recomenda-se?

Vergonhoso e sem importância, é com esta fama às costas que tem vivido o termo (e a prática) referente a sexo ‘casual’. No geral, são vários os motivos apontados. Em particular e visto à lupa, esta escolha parece não representar nada de errado. Formalismos à parte, é claro.

Viver O Fim da Humanidade?

A inteligência artificial já está a ficar com os nossos trabalhos. Irá libertar-nos, escravizar-nos ou exterminar-nos? O Professor Stuart Russell, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, acredita que estamos numa encruzilhada perigosa.

Viver Vendas de papel de parede aumentam por causa da Covid-19

O interesse repentino na cor do papel de parede deve-se ao aumento das reuniões em videoconferência. Ou então ao facto das pessoas passarem mais tempo a olhar para as suas paredes. Qualquer que seja a razão, a MUST reúne as melhores opções para a casa.