Estilo / Moda

A nova Zara do Porto ou um novo episódio de Black Mirror?

Pioneira no país, a Zara da Rua de Santa Catarina faz agora parte do novo conceito comercial da marca, baseado em lojas amplas de decoração neutra e equipadas com ferramentas tecnológicas mais otimizadas. A ficção que vemos na série futurística Black Mirror tornou-se realidade, portanto.

Foto: Zara
09 de setembro de 2022 | Ana Filipa Damião

É numa das zonas comerciais mais emblemáticas do norte do país que encontramos histórica loja da Zara, que depois de um extenso processo de renovação e ampliação apresenta uma nova imagem e experiência de compra, tornando-se, assim, na terceira referência mundial com este tipo de serviços, depois da aberturas em Madrid e no Qatar. Referimo-nos, claro, ao estabelecimento na Rua de Santa Catarina (números 160-168), no Porto, a primeira que a marca inaugurou fora de Espanha, em 1988, numa altura em que existiam 60 no vizinho ibérico.

Com quatro mil metros quadrados, a loja integra um novo piso comercial, neste caso o terceiro, para que todas as coleções de Homem, Mulher e Criança se encontrem num único edifício, além dos inovadores corners comerciais, dedicados aos lançamentos mais recentes, como a coleção de equipamento desportivo Athleticz, cujo design e mobiliário diferenciados estão equipados com armazéns próprios e atndimento personalizado. A decoração ao longo dos três andares mantém-se neutra de forma a que as peças sejam as verdadeiras protagonistas.

Corner da coleção desportiva Athleticz, na secção de roupa masculina
Corner da coleção desportiva Athleticz, na secção de roupa masculina

Terceira referência Zara no mundo com certas funcionalidades tecnológicas

Santa Catarina faz parte do novo conceito comercial da casa - áreas mais amplas onde o online se cruza com a experiência de compra física, através de inovadoras ferramentas tecnológicas que tornam mais eficiente "um dia de compras". Existem três grandes novidades.

O novo ponto de recolha de compras online com silo robotizado (uma espécie de máquina-armazém) permite levantar compras realizadas pelo site ou app no prazo de duas horas, não existindo assim a necessidade de se esperar pelo correio ou em longas filas. Basta colocar o código QR que recebemos no momento do pagamento ou o número da encomenda, no leitor da máquina, e observar a "magia". Em Portugal, este sistema (com capacidade para 800 pedidos) apenas existe em Santa Catarina e no Norte Shopping.
Ponto de recolha de encomendas online com silo robotizado
Ponto de recolha de encomendas online com silo robotizado

 
Encontramos ainda códigos QR em algumas paredes, pensados para os clientes que não possuam a aplicação. Com um rápido scan, feito através da câmara do telemóvel, ficamos a conhecer a planta completa da loja em questão, bem como os serviços nela disponíveis.

Igualmente inovador é o processo de entrada e saída dos provadores, que agora se faz através de um ecrã touch com apenas alguns passos: uma vez escolhida a roupa, basta passar uma das peças no ecrã e dirigirmo-nos ao provador que nos foi atribuído. O número na parte superior da cabine acende quando esta está ocupada, e desliga uma vez vazia. Para tornar a experiência o mais eficiente possível, há ainda cinco caixas self check out ao lados dos provadores.
Nova funcionalidade tecnológica na zona dos provadores
Nova funcionalidade tecnológica na zona dos provadores

Temos ainda as próprias funcionalidades do Store Mode da aplicação da marca – a Click and Go permite ao consumidor fazer uma compra online em qualquer momento e levantá-la no silo robótico no período de duas horas; a Click and Find permite encontrar o local exato de uma determinada peça; e por último permite ao cliente reservar um provador com antecedência, desde que o ocupe num espaço de tempo de três minutos.

Preocupação com o ambiente

Como parte do compromisso da Zara com o meio ambiente, a gigante do grupo Inditex dispõe de alguns dos sistemas de ecoeficiência ambiental mais avançados de sempre, sendo ainda candidata à categoria ouro da certificação de construção sustentável, Leed. Sistemas melhorados de aquecimento e refrigeração, iluminação LED e escolha de materiais sustentáveis foram outras medidas implementas na área, visando a redução da pegada ecológica.

"Santa Catarina" está ainda ligada à plataforma interna Inergy, que permite a monitorização do consumo da mesma, como dos equipamentos de climatização e os de eletricidade, por exemplo. Falamos de uma redução de cerca de 20% do consumo de energia e de cerca de 40% no de água, comparativamente a uma loja tradicional.

Área dedicada à recolha de caixas de cartão e roupa usada
Área dedicada à recolha de caixas de cartão e roupa usada

Ademais, a marca aposta no desenvolvimento de programas de reutilização e reciclagem com o objetivo de fomentar uma economia circular. São exemplos disto a área que encontramos no fundo do piso térreo, dedicada à reciclagem das embalagens de cartão provenientes das encomendas - a partir de agora, na área do Porto, o cliente pode escolher se quer receber a sua encomenda numa caixa nova ou em segunda mão.

Fontes oficiais garantem que esta renovação não se trata de um rebrading, e sim de uma evolução constante, reforçando que cada projeto é singular e que está condicionado pelas características específicas da área. É ainda importante ressalvar que o aumento das funcionalidades tecnológicas não se traduz numa redução da equipa da loja. Aliás, o número de funcionários triplicou - de 35 para 103. Espera-se que a Zara do Centro Comercial Colombo seja a próxima do país a incorporar o novo conceito e imagem da marca. 

Saiba mais Zara, Rua de Santa Catarina., Porto, Tecnologia, Inditex
Relacionadas

A nova mansão da herdeira da Zara vale 10 milhões de euros

Marta Ortega, herdeira do grupo Inditex, adquiriu um apartamento na luxuosa residência Villa Paris, no centro de Madrid, com vista para a Praça Villa de París, o Supremo Tribunal e a Igreja de Santa Bárbara. É um perfeito exemplo de luxo no imobiliário espanhol.

Mais Lidas
Moda Corridas de outono. Test-drive de ténis para a estação fria

Com o regresso das férias é também tempo de voltar aos treinos e planear da melhor forma a nova época de corrida, quer seja numa vertente mais lúdica ou de competição. Fomos, assim, testar alguns dos modelos mais conhecidos do mercado, porque é pelo calçado que se começa.