Viver

Fã de Quentin Tarantino? 4 livros recomendados pelo cineasta

São vários os títulos literários que influenciaram diretamente as obras de Quentin Tarantino. Na sua coleção, encontramos ensaios biográficos, relatórios bélicos e westerns.

Quentin Tarantino na 72ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cannes, maio de 2019
Quentin Tarantino na 72ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cannes, maio de 2019 Foto: Getty Images
11 de novembro de 2022 | Ana Filipa Damião

Quentin Tarantino é um nome que não passa despercebido no universo da sétima arte. O cineasta de 59 anos alcançou o estrelato com os filmes Pulp Fiction (1994) ou Kill Bil Vol. 1 e 2 (2003 e 2004) e venceu dois Óscar na categoria de Melhor Argumento Original, o primeiro com Pulp Fiction e o segundo com Django Libertado (2012).

Acontece que, para lá de realizador, ator, produtor e argumentista, Tarantino também é escritor, apaixonado por diversos géneros de literatura. Eis alguns dos seus livros essenciais. 

Franny & Zooey, de J.D. Salinger

A obra de 1961 é composta por um conto e uma novela, publicados inicialmente na revista The New Yorker. Na história, Franny e Zooey são duas de sete irmãos hiper inteligentes que se perguntam frequentemente sobre questões existenciais. As narrativas curtas de J.D Salinger influenciaram o norte-americano na estrutura de filmes como Pulp Fiction e Kill Bill, afirmou a GQ espanhola.  

Forty Lashes Less One, de Elmore Leonard

Tarantino adora o género western - também conhecido como "filmes de cowboys" -  como comprovam as obras Django Libertado e Os Oito Odiados (2015). O produtor comentou certa vez que gostaria de transformar o romance de Elmore Leonard, cujas personagens principais são um soldado negro e um apache, numa minissérie, segundo a mesma publicação. 

Employment of Negro Troops, de Ulysses Lee

"A coisa mais profunda que já li tanto sobre a guerra, sobre a América racista dos anos 40, comissionada pelo exército dos EUA para examinar a eficácia do seu emprego de soldados negros. Lee chegou a uma informação tão condenável sobre os militares que esteve afastada da vista do público até 1966. Poderoso", comentou o cineasta sobre o relatório, que serviu de pesquisa para o filme Sacanas Sem Lei (2009). 

Dreamers of a Golden Dream, de Joan Didion 

Uma antologia dos melhores artigos e ensaios de Joan Didion, composta por Creeping Towards Bethlehem (um clássico moderno sobre os Estados Unidos da década de 60), The White Album (que inclui episódios semi-biográficos dos anos 60 e 70), After Henry (que fala sobre os meios de comunicação e o seu papel junto às vítimas de crimes violentos), Salvador (um retrato do que acontece no país e a sua relação com a política externa dos Estados Unidos) e Miami (uma reflexão sobre imigração, política, violência e exílio).

Dreamers of a Golden Dream foi uma das grandes influências de Era Uma Vez…Em Hollywood, especialmente o ensaio The White Album

Saiba mais Quentin Tarantino, Livros, Literatura, Franny & Zooey, Forty Lashes Less One, Employment of Negro Troops, Dreamers of a Golden Dream, Kill Bill, Pulp Fiction, Era Uma Vez...Em Hollywood, Cinema
Relacionadas
Mais Lidas
Viver Os luxos dos jogadores de futebol

Mansões que valem milhões, carros topo de gama, jatos privados e capas de telemóvel no valor de 35 mil euros — assim gastam as suas fortunas os melhores jogadores do mundo. Mas existe, também, um lado solidário que os craques da bola nunca esquecem. E isso, sim, é “jogar bonito”.