Prazeres / Drive

Vision AVTR: o automóvel que pode controlar com a mente

O novo conceito de automóvel da Mercedes-Benz conta com um sistema único, o BCI, e promete ser a simbiose perfeita entre homem, máquina e natureza.

Vision AVTR, modelo da Mercedes-Benz.
Vision AVTR, modelo da Mercedes-Benz. Foto: Mercedes-Benz
21 de setembro de 2021 | Ana Damião

O futuro pode estar mais perto do que pensa. Depois dos veículos com piloto automático da Tesla, a Mercedes-Benz apresenta o Vision AVTR, um modelo que, daqui a uns anos, poderá ser controlado apenas com a mente.

O novo "carro-conceito" da marca alemã foi inspirado no filme Avatar, de James Cameron, e está atualmente a ser apresentado no salão IAA Mobility 2021, em Munique, na Alemanha.

Vision AVTR, da Mercedes-Benz.
Vision AVTR, da Mercedes-Benz. Foto: Mercedes-Benz

O Vision AVTR é um modelo eléctrico completamente desprovido de comandos manuais, como o volante ou a caixa de velocidades. A sua bateria reciclável é composta por grafeno orgânico, um material extremamente fino, impermeável, resistente e flexível, o que alegadamente contribui para uma pegada ambiental inexistente.

Portas de vidro do Vision AVTR, da Mercedes-Benz.
Portas de vidro do Vision AVTR, da Mercedes-Benz. Foto: Mercedes-Benz

A Mercedes tinha anunciado no ano passado que o controlo do automóvel seria feito através de um joystick que iria ler a informação biológica do condutor. Porém, foi revelado na IAA Mobility 2021 que, afinal, o veículo será equipado com uma interface cérebro-computador (BCI) que permitirá a leitura das ondas cerebrais do indivíduo. Assim, bastará colocar na cabeça o dispositivo para escolher o destino da condução ou a estação de rádio que quer ouvir.

Interior do Vision AVTR, da Mercedes-Benz.
Interior do Vision AVTR, da Mercedes-Benz. Foto: Mercedes-Benz

O design do Vision é tão futurista como a sua tecnologia. O exterior do modelo é impressionante, com uma superfície prateada e detalhes azulados. Segundo a marca, o design foi inspirado na natureza e nos animais de Pandora, destacando-se os 33 flaps "biónicos" com luzes LED, localizados na parte traseira, que são uma referência às escamas dos répteis. Também as portas de vidro que abrem para cima foram inspiradas na natureza, mais precisamente nas asas das criaturas voadoras do filme. No interior, os bancos são feitos de plástico reciclável e o chão é de madeira Karoon, um material abundante na Indonésia.

Traseira do Vision AVTR, da Mercedes-Benz.
Traseira do Vision AVTR, da Mercedes-Benz. Foto: Mercedes-Benz

O automóvel tem uma autonomia de 700 km após um carregamento de apenas 15 minutos, sendo que os quatro motores, um em cada roda, garantem-lhe uma potência de 470 CV.

Saiba mais Vision AVTR, Mercedes-Benz, Tesla, automóveis, futuro, tecnologia, Avatar, cinema, IAA Mobility 2021, carros elétricos, sustentabilidade, reciclagem, meio ambiente, pegada ambiental, baterias
Relacionadas

Também tu, Bru... Mercedes?

Ainda os ecos da profissão de fé da Stellantis não se tinham dissipado e já a poderosa Mercedes-Benz vinha a terreiro comprometer-se a ser um fabricante completamente eletrificado. E, tal como JFK havia prometido ir à Lua antes do final da década, também a marca alemã aponta 2030 como o limiar da sua nova existência 100% elétrica. Naqueles mercados em que as condições o permitam, claro.

Está na hora do tudo elétrico? Ou será que é no meio que está a virtude? - parte 2

Depois dos 100% elétricos, uma segunda parte dedicada aos híbridos plug-in. O melhor de dois mundos (motor de combustão + elétrico) e uma fase intermédia, de transição entre a clássica mobilidade dita “térmica” (do motor de combustão interna) e a moderna, elétrica, de que se diz ser o futuro: sustentável, sem emissões, amiga do planeta.

Está na hora do tudo elétrico? – parte 1

O mundo automóvel vive em constante e acelerada mudança. De gadget mais ou menos curioso, o veículo elétrico evoluiu e tornou-se presença habitual na paisagem citadina. Mas terá chegado a altura de abandonar em definitivo o motor de combustão interna? Nesta primeira parte do artigo, analisemos a oferta atual de modelos 100% elétricos.

Mais Lidas