Prazeres / Artes

Revelada a frase que Edvard Munch escondeu no seu quadro mais famoso

É um mistério que atravessa várias décadas, mas acaba de ser desvendado. Além de ter sido o próprio a escrever a frase, esta revela muito do que sentia acerca do mundo artístico e dos seus apreciadores - especialistas ou não.

Foto: NATIONAL MUSEUM OF NORWAY
22 de fevereiro de 2021 | Rita Silva Avelar

Há várias décadas que investigadores e especialistas em história de arte especulam sobre a frase, praticamente imperceptível, desenhada no canto inferior esquerdo de O Grito, de Edvard Munch, que data de 1893. O quadro, que abriu caminho ao Expressionismo, criou uma das imagens mais usadas para representar a ansiedade e a saúde mental. Escrita a lápis, sabe-se agora que a frase diz: "Só podia ter sido pintado por um homem louco!", e que foi escrita pelo próprio pintor norueguês, como avança uma curadora ao The New York Times.

Até então, especulava-se sobre a possibilidade de se tratar de um ato de vandalismo, mas os curadores do Museu Nacional de Arte, Arquitetura e Design da Noruega, em Oslo, garantem que o mistério foi desvendado sem margem para dúvidas, após uma análise muito delicada e detalhada com recurso a uma tecnologia de infravermelhos. Conclui-se assim que as palavras são mesmo da autoria do famoso pintor.

A olho nu, a frase é praticamente imperceptível na obra, que à data da sua exposição, no fim do século XIX, gerou uma onda de comentários sobre Munch, sobretudo sobre a sua saúde mental. Segundo a informação que consta nos seus diários e cartas, o artista sentiu-se revoltado e magoado por essa reação e pode ter sido por isso que acrescentou a frase à pintura, já depois de finalizada.

Ao longo da sua vida, o pintor norueguês debateu-se com problemas de ansiedade, depressão e alcoolismo, e passou alguns anos internado numa clínica psiquiátrica, após ter sofrido um colapso nervoso, em 1908. 

O quadro, que tem sido submetido a vários trabalhos de restauro, deverá voltar a ser exibido em 2022, no Museu Nacional de Arte, Arquitetura e Design da Noruega.

Saiba mais Edvard Munch, Expressionismo, The New York Times, artes, cultura e entretenimento, pintura, Frase
Relacionadas
Mais Lidas
Artes 5 novas e viciantes séries para não sair do sofá

As séries que acabam de chegar às plataformas de streaming aliadas ao prolongamento do confinamento só têm um resultado: maratona. Saudosismo pelo frenesim das cidades? Dilemas morais que nos fazem questionar todas as barreiras éticas? Ou uma viagem pelo mercado negro? Está tudo nestas propostas para ocupar as próximas horas vagas.

Artes Como comprar arte acessível pela net

Está desejoso de melhorar a imagem de fundo que mostra no Zoom ou apenas quer ver coisas bonitas? Mais tempo em casa significou um aumento das compras online de arte – mas, por onde começar? Phoebe McDowell apresenta-lhe um guia de conhecedora.