Prazeres / Artes

As melhores piadas de Brad Pitt nesta temporada de prémios

Os discursos do ator estão repletos de humor.

Foto: Getty Images
07 de fevereiro de 2020 | Vitória Amaral

Com o passar das semanas, a época de prémios pode começar a tornar-se entediante, quer seja uma celebridade ou espectador, mas Brad Pitt, estrela incontornável, tem sido uma presença digna de menção este ano não só pelo seu talento, mas pelas suas piadas. Normalmente, depois de todas as cortesias dignas de uma entrega de prémios em Hollywood, quando finalmente chega a altura de subir ao palco a maioria dos atores recorre às velhas frases que se espera ouvir de quem está a ser distinguigo, mas Pitt não tem desiludido no que toca a fazer o público rir com as suas brincadeiras sobre a sua vida pessoal ou qualquer tema recorrente (se algum dia a representação lhe falhar há sempre a carreira de comediante).

Mas mesmo quando não estava a receber um prémio, Pitt conseguiu levantar os ânimos. Em homenagem à sua pequena tour de comédia e, claro à sua nomeação para o Óscar de Melhor Ator Secundário pela sua prestação em Era Uma Vez... em Hollywood (caso o ganhe, espera-se o discurso mais épico do ano) eis uma lista das melhores piadas do ator durante este ano.

Sobre a sua vida amorosa

"Queria trazer a minha mãe, mas não pude porque dizem sempre que estou a namorar com qualquer mulher que esteja sentada ao meu lado, e isso seria estranho"- disse, nos Globos de Ouro.

"Olá Reino Unido. Ouvi dizer que agora estás solteiro, bem-vindo ao clube!" disse nos BAFTA’s.

Ao receber o prémio SAG no mês passado: "Tenho de pôr isto no meu perfil do Tinder!".

Sobre a sua vida pessoal:

Em referência ao seu papel em Era uma vez... Em Hollywwod nos prémios SAG, disse: "Vamos ser sinceros, foi um papel difícil: um tipo que fuma ganzas, tira a camisa e não se dá bem com a mulher. Foi mesmo um esticão."

Sobre Quentin Tarantino, que realizou o mesmo filme:

Nos prémios da Associação de Críticos de Nova Iorque, disse: "O Quentin cresceu numa parte triste e desolada de Torrance conhecida como Torrance". No mesmo discurso disse que o realizador falava tanto que "é a única pessoa que conheço que precisa de cocaína para se calar."

Também a gozar com Tarantino o ator disse, " Eu gostava de agradecer aos atores que contracenaram comigo: o Leo, a Margot Robbie, os pés da Margot Robbie, os pés da Margaret Qualley, os pés da Dakota Fanning. A sério, o Quentin tem separado mais mulheres dos seus sapatos do que a TSA" (a Administração de Segurança no Transporte dos EUA)

Sobre o Megxit:

Enquanto falava em nome de Pitt no palco dos BAFTAS, Robbie falou do seu prémio mais recente e disse: "Ah, e [o Brad] disse que vai chamar ao prémio Harry porque está mesmo entusiasmado por levá-lo para os Estados Unidos consigo", uma referência à mudança do Príncipe Harry e Meghan Markle para a América do Norte). Ciente de que o Príncipe William e Kate Middleton estavam sentados a alguns lugares do seu, Robbie acrescentou "Foi o que ele disse!".

Sobre os seus filmes menos bem-sucedidos:

Depois de admitir relutantemente ter recusado o papel de Keanu Reeves em Matrix, Pitt sorriu durante um tributo no Festival Internacional de Cinema da Santa Bárbara e encolheu os ombros "Tomei o comprimido vermelho". (referência à cena do filme em que Neo escolhe o comprimido vermelho que o desliga do Matrix e o traz de volta ao mundo real).

No mesmo evento, perguntaram ao ator se divertir-se a fazer um filme tinha alguma influência na qualidade do produto final, ao que Pitt replicou "a resposta a essa pergunta é o Ocean’s Twelve".

Sobre os prémios em geral:

Na gala da National Board of Review, Pitt sumarizou a temporada com: "É bom poder sair daqui a carregar algo que não seja o George Clooney."

 

Saiba mais Brad Pitt, humor, piadas, época de prémios, Óscares, BAFTA, Globos de Ouro, Hollywood, celebridades, cinema
Relacionadas

O que é que Robert Pattinson tem?

Um filme que passou despercebido a muitos, O Farol, lança-nos um olhar diferente ao ator inglês que aqui despe definitivamente as camadas fantasiosas da personagem crepuscular de Edward Cullen. Eis aquilo a que podemos chamar um belo renascer das cinzas.

A recordista dos Óscares

Meryl Streep, afaste-se, por favor… Edith Head é a mulher que teve mais nomeações para o Óscar e que arrebatou o maior número de estatuetas douradas. Relembramos a mulher feia e mal vestida que criou cerca de 500 guarda-roupas, ao longo de 57 anos. Mas o verdadeiro talento da costume designer era mentir, manipular e ficar com os louros da equipa. Teve azar.

Mais Lidas