Estilo / Beleza & Bem-Estar

Sofre do síndrome pós-férias? Coma estes alimentos

Ricos em gordura, serotonina e antioxidantes, eis os nutrientes que deve implementar na dieta para sobreviver ao regresso ao trabalho.

Foto: Pexels
14 de setembro de 2022 | Ana Filipa Damião

O regresso à rotina pode ser atarefado, sobretudo caso tenha estado de férias várias semanas e em completo modo de relaxamento. O processo de adaptação, este grande salto que é passar da praia para o escritório, conta com um período de, no máximo, 14 dias, e pode manifestar-se através de problemas de concentração, falta de motivação, insónias, irritabilidade, e tristeza. Para quem sofre deste "mal", saiba que existem certos alimentos, facilmente incluídos na dieta, que combatem os efeitos da "síndrome pós-férias", conforme explicou María José Crispín, nutricionista, ao site da GQ espanhola.  

Vitaminas C e B12
A vitamina C é essencial para o bom funcionamento dos neurotransmissores - regula os níveis de cortisol, a "hormona do stress", melhora os níveis de dopamina, associada ao prazer e à motivação, e ainda os de serotonina, conhecida pela "hormona da felicidade". Além disso, contribui para um sistema imunitário fortalecido, que reduz a fadiga e o cansaço. A falta de vitamina B12 tem uma relação direta com o desenvolvimento de depressão, por isso queremos garantir os níveis certos. No caso da vitamina C, esta pode ser encontrada em frutas como limão, tangerina, laranja, kiwi e tomate e em vegetais como pimentos e bróculos, já a B12 está presente na carne vermelha, na carne branca, ovos, peixe, marisco e produtos lácteos. 

Triptofano
É um aminoácido fulcral para o equilíbrio do sistema nervoso que contribui para produção de serotonina e melatonina - hormona que regula o sono - usadas no tratamento da depressão, ansiedade e insónias. Está presente na banana, na aveia e em alguns frutos secos como nozes e castanhas de caju. 

Ácidos gordos ómega-3 e ácido fólico
A falta de ácidos gordos ómega-3 e de ácido fólico está também associada a distúrbios de saúde mental. São maioritariamente encontrados em peixes ricos em gordura - cavala, salmão, sardinha, arenque e atum - e vegetais de folha verde - como espinafres, agrião e couve. 

Antocianinas 
Trata-se de um grupo de corantes naturais responsáveis pela cor vermelha, azul e violeta, presentes em frutas e vegetais como mirtilos, amoras, cerejas e beringelas. Têm propriedades antioxidantes e ajudam a combater o stress

Probióticos
Os probióticos contém bactérias que ajudam a regular a flora intestinal, um ponto importante a reter, dado que estudos científicos afirmam que quem tem a flora intestinal desequilibrada, sofre um maior risco de vir a ter depressão. Estão presentes no iogurte, no kefir e na kombucha

Hidratos de carbono de absorção lenta
Incorporar este tipo de hidratos na rotina alimentar é sempre boa ideia, não apenas quando voltamos de férias. Isto porque, por serem de absorção lenta, não criam picos súbitos de glicose no sangue, a razão pela qual nos sentimos com sono depois de comer. Assim, os níveis de açúcar mantêm-se estáveis e sentimo-nos com mais energia ao longo do dia. Alguns exemplos são aveia, arroz integral, quinoa, trigo, grão, lentilhas e soja.

Saiba mais Saúde, Alimentação, Férias, Trabalho, Síndrome Pós-Férias, Cansaço, Motivação, Depressão
Relacionadas
Mais Lidas
Beleza & Bem-Estar Qual a melhor hora para acordar no outono?

O final do horário de verão costuma ser sinónimo de menos energia, menos vontade de sair, e para alguns, sinónimo de depressão sazonal. Mas graças a um novo estudo, este outono pode ser diferente. Descubra a que horas é deve acordar, segundo os especialistas.