Viver

Os acordos pré-nupciais em Silicon Valley

Jovens empreendedores protegem futuro com acordo pré-nupcial.

Foto: Kimberly White, Getty Images
16 de outubro de 2019 | Bloomberg

Não importava que a cliente tivesse pouca coisa em seu nome. O que ela tinha eram várias ideias para uma start-up. Ela e o noivo, que já tinha uma pequena empresa de tecnologia, assinaram um acordo pré-nupcial com termos claros. "O cônjuge que tem uma ideia [e] inicia um negócio ‘é dono’ desse negócio. É o seu bebé", disse Mazzei.

Alguns anos depois, Mazzei, sócia da Sideman Bancroft, estava no aeroporto de São Francisco quando viu a sua ex-cliente na capa de uma revista. A sua start-up tinha alcançado o sucesso. Os negócios do marido fracassaram.

Em Silicon Valley, onde programadores sem dinheiro acreditam fervorosamente que as suas ideias valem milhares de milhões, ficar rico pode ter prioridade sobre o casamento. A lei da Califórnia pressupõe que qualquer património gerado durante o casamento seja propriedade comum, que deve ser dividido igualmente num divórcio. A lei é alarmante não apenas para jovens empreendedores, mas também para os seus investidores.

Divórcio

Felizmente, um contrato bem redigido é uma salvaguarda contra o caos pós-divórcio, razão pela qual mais e mais casais jovens estão a insistir nos acordos, segundo vários advogados de São Francisco e outras regiões. Muito popular entre os casais ricos de mais idade que se casam novamente, os acordos também estão a ser exigidos por empreendedores que desejam proteger o seu futuro.

"Estou a ver mais e mais jovens a querer fazer acordos pré-nupciais que atualmente não têm muito dinheiro, mas planeiam ter muito dinheiro algum dia", disse a advogada especialista em divórcios, Jacqueline Newman, de Manhattan.

‘É complicado’

Os fundadores de start-ups de hoje têm muitos antepassados que fizeram acordos pré-nupciais para serem imitados. O cofundador do Google, Sergey Brin, e Anne Wojcicki, que ajudou a fundar a empresa de genómica pessoal 23andMe, fizeram um acordo pré-nupcial quando se casaram em 2007. Depois de se divorciarem com pouco alarde em 2015, a sua participação no Google permaneceu inalterada.

"É complicado - é tudo o que posso dizer", disse Wojcicki à Bloomberg TV sobre a separação.

Larry Ellison, cofundador da Oracle, foi casado e divorciado várias vezes, mas nenhum casamento afetou a sua participação na empresa de software. Ellison é a sétima pessoa mais rica do mundo, com um património líquido de 59,8 mil milhões de dólares, segundo o Índice de Bilionários Bloomberg.

Ainda assim, um acordo pré-nupcial dificilmente garante um divórcio tranquilo. Os juízes podem e de fato rejeitam os acordos, especialmente se forem mal redigidos. "Se não se usar a linguagem certa, muitos acordos pré-nupciais não funcionam", alertou Lowell Sucherman, advogado de divórcio da Sucherman Insalaco, em São Francisco.

 

Saiba mais empreendedores, acordo pré-nupcial
Relacionadas

Woodstock para capitalistas

Warren Buffett, guru de investimentos multimilionário e o homem que parece nunca tirar férias, fez 88 anos e é adorado pelos seus seguidores. Quem será o seu sucessor? Nada como ir ao evento anual da sua empresa para descobrir.

Mais Lidas
Viver O que os homens não entendem nas mulheres

Para os homens, é roxo. Para as mulheres, também. Mas pode ainda ser lilás, magenta, lavanda, beringela… Este é apenas um exemplo subtil de como algo aparentemente simples pode ser entendido de formas diferentes – e dar azo a discussão. Voámos de Vénus a Marte para saber o que é que eles não conseguem perceber sobre elas. E, pelo caminho, ficámos com vontade de sussurrar: “You know nothing, Jon Snow.”