Prazeres / Lugares

Esta cabana no meio da natureza é 100% sustentável e foi pensada para o isolamento

Em tempos de covid-19, há quem procure refugiar-se no meio da natureza, longe da civilização, e com ar puro. Esta cabana, em Barcelona resulta de um projeto de estudantes espanhóis que querem mudar a origem e a utilização dos materiais de construção.

Foto: © Adrià Goula
12 de maio de 2021 | Rita Silva Avelar
Na floresta de Collserola, nos arredores de Barcelona, acaba de ser inaugurada uma cabana completamente sustentável, criada com materiais encontrados na zona e com um objetivo muito particular: servir de confinamento durante 14 dias em caso de necessidade, para quem queira alugá-la. Chama-se Villa Voxel e foi pensada por uma equipa de estudantes, profissionais e peritos do Mestrado em Edifícios Ecológicos Avançados e Biocidades (MAEBB) do Instituto de Arquitectura Avançada da Catalunha (IAAC), que fazem parte do núcleo de investigação e educação Valldaura Labs.

Esta equipa ergueu a cabana Villa Voxel em apenas cinco meses. É feita com "uma estrutura de madeira laminada [a chamada madeira CLT] de 16 metros quadrados, a partir de pinheiro Aleppo (Pinus halepensis)" diz um porta-voz do grupo, citado pela Traveler espanhola. "Toda a madeira utilizada no projeto foi extraída num raio inferior a um quilómetro do estaleiro de construção" para evitar poluir o ambiente com deslocações. Além disso, a equipa certificou-se que sabia a origem da madeira, garantindo a sua sustentabilidade e origem consciente.
Uma cabana sustentável num bosque perto de Barcelona.
Uma cabana sustentável num bosque perto de Barcelona. Foto: © Adrià Goula


Esta cabana em Collserola "responde à necessidade de promover uma nova geração de edifícios verdes utilizando madeira laminada (CLT), que se pretende que seja um material fundamental para a construção de edifícios no combate às alterações climáticas" explica o porta-voz. De acordo com este núcleo, tudo foi unido sem metal, mas sim com madeira, para honrar o compromisso de utilizar materiais com menor presença de carbono.

A estrutura da cabana foi envolvida numa camada de isolamento de cortiça, e a aparência "queimada" da fachada deve-se à técnica japonesa Shou Sugi Ban, que consiste em carbonizar a madeira, arrefecê-la, limpar a fuligem ou resíduos queimados na superfície e, finalmente, terminar as tábuas ao aplicar um azeite orgânico. Este tratamento orgânico protege o edifício da chuva, e dá-lhe uma aparência rústica. Conheça o projeto, e veja as fotografias, captadas pelo espanhol Adrià Goula.


Saiba mais Cabana, floresta de Collserola, Barcelona, Instituto de Arquitectura Avançada da Catalunha, The Voxel, Biocidades, MAEBB, Edifícios Ecológicos Avançados, Collserola, IAAC, Valldaura Labs, CLT, ambiente
Relacionadas

Desconfinar em modo luxo no Douro

Viajar tornou-se uma experiência demasiado regozijante para se desperdiçar à toa. Fomos conhecer as novidades do Six Senses Douro Valley, em Lamengo, agora renovado e com descontos para marcações feitas nos próximos três anos.

Uma cabana "invisível" que se funde com a Natureza

Fica escondida numa floresta no Canadá e só quem fizer reserva sabe a sua localização. A Arcana é um conjunto de cabanas que se tornam parte do meio envolvente, sem nunca sabermos realmente se estamos perante uma árvore ou uma janela.

Mais Lidas
Lugares Quatro dias no Monte do Hermínio

Burel deixou de ser apenas uma lã feita a partir das ovelhas da Serra da Estrela. É uma marca portuguesa de um casal que apostou na recuperação do património do Interior, onde mantém dois hotéis e uma fábrica.