Estilo / Moda

Ferrari junta-se à Armani para lançar acessórios de luxo

A Ferrari pretende avançar no mercado de luxo para os seus acessórios. A fabricante de supercarros está a unir-se a outro ícone de Itália, a Giorgio Armani, para ajudar a empurrar as suas roupas e malas para o segmento de luxo.

O símbolo da Ferrari
O símbolo da Ferrari Foto: Bloomberg
05 de novembro de 2019 | Bloomberg

O presidente Louis Camilleri tenta atingir o objetivo de longa data do seu antecessor Sergio Marchionne, falecido em 2018: transformar a Ferrari numa marca de luxo completa. Depois de elevar a projeção para faturação e lucro em 2019, a empresa revelou na segunda-feira que, nos próximos sete a dez anos, os produtos de marca devem representar 10% dos lucros antes de juros e impostos.

A nova postura da Ferrari significa que itens como casacos e óculos de sol terão preços premium, mais alinhados à imagem dos carros desportivos que podem custar mais de um milhão de dólares, segundo pessoas familiarizadas com o processo.

"Os nossos produtos atuais são muito amplos e correm o perigo de diluir o preciosíssimo valor da nossa marca", disse Camilleri numa teleconferência com analistas.

Há muito tempo, a Ferrari oferece polos e malas de viagem em centros comerciais e aeroportos, permitindo que os fãs levem um bocado da marca por uma fração do preço.

Embora este tipo de merchandising possa reforçar a marca, o foco em relógios de 150 dólares e bonés de 30 dólares pode arranhar a imagem de exclusividade.

"Reduziremos os nossos acordos de licenciamento atuais em aproximadamente 50%", disse o CEO. "Também vamos eliminar cerca de 30% das categorias de produtos nas quais participamos."

A reputação da Ferrari pela engenharia de alto nível pode fazer de categorias mais técnicas — como relógios e óculos — um alvo lógico para a sua nova estratégia.

A Armani tentou reorientar a sua imagem de luxo através de um maior controlo, recompra da licença para vestuário de rápido fabrico e descarte (fast fashion) sob a bandeira Armani Exchange e suspensão das linhas vendidas em lojas de preços médios. No entanto, não há expectativa de retoma do crescimento das vendas até o próximo ano.

Saiba mais Ferrari, Armani Exchange, bens de consumo, economia, negócios e finanças, tecnologias de informação
Relacionadas

O personalizador dos carros dos famosos

O leitor é um jogador de futebol da primeira liga e acaba de gastar um quarto de milhão num supercarro. Apesar disso, ainda lhe falta qualquer coisa… É então que entra em cena Yianni Charalambous – alguém pediu pele de cobra?

Mais Lidas
Moda O top 7 dos homens

As maiores tendências do outono/inverno. Das mais clássicas às mais ousadas, os novos ícones de estilo bebem influencias do passado com uma atitude de futuro.

Moda Man in black

Os fatos pretos, combinados com camisa clássica branca e gravata, ou com camisa preta, não são normalmente vistos à luz do dia. Esta é a estação em que este cliché vai mudar.