Estilo

The Style Singers: os músicos com mais estilo de sempre

Ter um estilo é uma coisa e ter estilo é outra. A esta última, a que importa, acresce um factor relevante que reside na capacidade de se lançar um estilo só porque se o tem. Goste-se dele ou não. A Must reuniu um conjunto de 30 cantores e músicos, cujos estilos definem a época em que se enquadram nesse universo exclusivo.

David Bowie, 1983
David Bowie, 1983 Foto: Getty Images
10 de janeiro de 2020 | Eduardo Câmara

Os Selectos

Frank Sinatra, Sammy Davis, Jr. e John Legend. Com um smoking ou com uma simples camisa aberta, eles interpretam o registo clássico, aprumado, elegante e nunca datado. Legend não tem o estatuto dos demais, mas é, no presente, um homem que podia fazer parte do famoso The Rat Pack (Frank Sinatra, Dean Martin, Sammy Davis, Jr., Peter Lawford e Joey Bishop). Neste trio, Sinatra é o chaiman of the board e se não entende porquê, nunca irá entender…

Os Sensuais

Marvin Gaye, Serge Gainsbourg e Jim Morrison. Três estilos, personalidades, registos musicais, vidas e carreiras diferentes, mas com um ponto em comum: a sensualidade. Gaye marcou um estilo sofisticado, elaborado e sexy. Gainsbourg é a referência da Must em termos de estilo, num misto boémio, sedutor, nonchalant e chique decadente, no qual tudo lhe é permitido, sem falhas e sem rivais à altura. Morrison lançou um género que perdura e que é o zénite da volúpia: os cabelos longos e ondulados, as camisas muito abertas no peito, os cintos largos nas ancas, as botas e aquelas famosas calças justas de cabedal.

Marvin Gaye, 1983
Marvin Gaye, 1983 Foto: Getty Images

Os Elegantes

Bryan Ferry, Charlie Watts e Zayn Malik. Musicalmente insignificante e sem o prestígio dos outros dois, Malik não deixa de ser, nestes tempos, um homem com estilo e que usa a roupa de modo certo e genuíno. Ferry é o dandy por excelência, tendo atravessado de modo incólume os anos de muito duvidoso gosto que foram os de 1980. Watts, o baterista dos The Rolling Stones, é um senhor, o único músico do rock que envelheceu com dignidade (e tão diferente é dos demais membros do grupo que ainda está casado com a mesma mulher). Nos anos 80, antes de um concerto, em Amesterdão, Mick Jagger perguntou: "Where’s my fucking drummer?" Watts irrompeu, vestido de maneira irrepreensível, e, sempre calmo, agarrou no rosto de Jagger e disse-lhe: "Don’t ever again call me your fucking drummer. You’re my fucking singer." Se isto não é ter estilo, então não sabemos o que é…

Zayn Malik, 2016
Zayn Malik, 2016 Foto: Getty Images

Os Minimalistas

Chet Baker, Elvis Costello e David Byrne. Bastam-lhes uma simples T-shirt, uns jeans, uma camisa lisa ou uns óculos de ver. Baker, mesmo quando a idade, a doença e os vícios tinham corrompido a beleza, manteve-se simples. Costello revelou que um fato pode ser usado com sapatos de ténis e uma camisa desportiva com uma gravata e fez dos óculos em massa escura a sua imagem de marca, sendo ainda imitado. Byrne continua aparentemente contido, com alterações na imagem, ao longo do tempo, que nunca lhe ofuscaram o sentido de estilo.

Chet Baker, 1956
Chet Baker, 1956 Foto: Getty Images

Os Excêntricos

David Bowie, Iggy Pop e Draft Punk. Ícone de estilo da música pop, Bowie foi imparável, inimitável, inexcedível e camaleónico nos anos de 1970, rasgando estilos e preconceitos e enaltecendo a androgenia. Mais velho, manteve-se como uma referência de bom gosto e de sobriedade. Iggy Pop conseguiu provar que se pode manter um estilo e ter estilo próprio, ainda que discutível, ao longo dos anos apenas com o tronco nu e com uns jeans ou com umas calças de couro. Finalmente, os Daft Punk são aqueles que no panorama da pop actual, povoada de gente que tem "estilo" através de "banhos de marcas" e de consultores de estilo, marcaram a diferença com aquela indumentária impecável e com aqueles capacetes fantásticos. Os três são, afinal, uns admiráveis exibicionistas.

David Bowie, 1974
David Bowie, 1974 Foto: Getty Images

Os Fashionistas

Drake, André 3000 e Kanye West. Têm, em comum, um apetite voraz pela moda e pela imagem cuidada, por muito estudada. André Benjamim, vulgo André 3000, é aquele que, entre os três, conseguiu ser mais versátil e não repetitivo. Sem o carisma de André, tanto Drake como West têm estilo, indiscutivelmente, mas apresentam-se em público sem grandes rasgos de criatividade ou riscos e fariam as delícias de qualquer marca de luxo que os quisesse expor nas suas montras.

Drake, 2016
Drake, 2016 Foto: Getty Images

Os Individualistas

Leonard Cohen, Tom Waits e Nick Cave. Mais três homens com referências musicais distintas, mas unidos por um sentido de estilo nonchalant. De facto, ainda que pareçam não atribuir importância à imagem ou à necessidade de seguir um estilo, fazem sobressair um registo "cuidadosamente" descuidado, sobretudo os dois primeiros, devido a um não alinhamento com o mainstream ou com o politicamente correcto. Cave sempre demonstrou, apesar de tudo, algum rigor estético.

Jimi Hendrix, 1970
Jimi Hendrix, 1970 Foto: Getty Images

Os Extravagantes

Keith Richards, Mick Jagger e Jimi Hendrix. Constituem a apologia, até no vestir, do lema "Sex, Drugs and Rock’n’roll". O pesado passar dos anos não tomou conta dos dois primeiros que recusam os arquétipos da idade e da "normalidade". Jagger confessa que o seu estilo resulta das peças que encontra para vestir ou para adornar-se que estejam no guarda-roupa de alguma das duas filhas. Richards não tem limites num registo junkie hippy chic. Hendrix foi a imagem dos filhos da era dos hippies resultantes das revoluções sexual e cultural que contestaram o status quo vigente nos anos 50 e 60. Richards, Jagger e tantos outros que lhes são semelhantes são os meros herdeiros do legado de estilo de Hendrix.

Os Inconformistas

The Ramones, The Beastie Boys e The Smiths. Lançaram para a rua o estilo sem um estilo definido, em Inglaterra e nos EUA. Em duas palavras: desalinhados esteticamente. Os The Ramones com os cabelos compridos e desarranjados, com os blusões de couro e com os jeans rasgados; os The Beastie Boys com a imagem preppy with a twist de subúrbio branco, com o recurso a caps, blusões desportivos e hoodies usados como provocação. Os The Smiths, com Morrissey ao leme, elegeram a moda dos anos de 1980 sem grandes rasgos provocativos, tendo sido seguidos no estilo pelos jovens que recusavam o estereótipo dessa era dos yuppies de Ronald Reagan ou dos golden boys de Margaret Thatcher.

Os Naturais

George Harrison, Bob Dylan e Father John Misty. A simplicidade e a mistura de peças dos três faz parte de um estilo que perdura. Harrison misturava gravatas extravagantes com blusões de ganga ou cafetãs soberbos com golas altas de malhas grossas, mantendo o cabelo desalinhado e os famosos óculos de sol escuros usados em espaços interiores. Dylan cultivou sempre o tal registo nonchalant de contestação e Misty afigura-se como o herdeiro da era moderna dos registos de Harrison e de Dylan com uma aura de sedução que, afinal, caracteriza os três.

Bob Dylan, 1965
Bob Dylan, 1965 Foto: Getty Images

 

Saiba mais estilo, cantores, música, moda
Relacionadas

Homem do mês: Jeff Goldblum

Além de participar em alguns dos filmes mais lucrativos da sua época, como é o caso da saga Jurassic Park, e de se ter revelado um pianista de jazz notável, o ator norte-americano é também um exemplo de estilo com muita personalidade

Os 10 homens com mais estilo da Internet

Numa era em que todos procuram ideias de estilo, saiba quem são os melhores instagramers a seguir de todos os cantos do mundo. A nossa escolha não é feita pelo número de seguidores ou por serem famosos, mas sim porque são os homens mais bem vestidos e com mais estilo.

Mais Lidas
Estilo Os homens mais sedutores de sempre

Uns contam e somam as mulheres com quem se deitaram. Outros apenas se ficam pelas paixões platónicas que espoletaram nos corações femininos. A lista poderia ser maior, mas nós não somos de exageros…

Estilo Já não se fazem ícones como estes

Pertencem à era de ouro de Hollywood e fazem parte de uma galeria restrita de actores, cujos estilos a vestir os demarcaram dos demais. Sem nunca precisarem de marcas ou de recorrerem a consultores de imagem.

Estilo A natureza dos Açores numa ida ao Ritz Spa

Os tratamentos da Ignae, um exclusivo do Ritz Spa, em Lisboa, combinam o melhor da ciência e da natureza para nos levar numa viagem pelas maravilhas do arquipélago. O mais difícil é regressar à terra.