Drive

Velhas lendas do mundo automóvel

Os modelos que se seguem são mais do que simples carros, são mesmo modos de vida. Para começar a sonhar com o calor...

04 de março de 2020 | Pedro Serra

O automóvel, apesar de toda a evolução, mantém-se um símbolo de liberdade, de autonomia e de estilo. Nos primórdios, ou seja, no final do século XIX, os modelos estavam apenas ao alcance dos ricos. O primeiro modelo acessível a muitos a nível mundial foi o Ford Model T, eleito em 1999 como o carro mais influente do século XX.

À medida que se tornou mais popular, o automóvel passou a ser também um objecto de estilo. Os modelos que se seguem são uma espécie de biquíni do mundo automóvel. Têm pouco material – são mesmo descapotáveis –, a pensar no calor estival, e são fabricados para se aproveitar ao máximo o céu limpo e o sol. E não lhes falta um estilo único que os tornou ícones e desejados muitas décadas depois da sua estreia nas estradas do mundo. E o que é que o milionário grego Aristóteles Onassis, a princesa Grace do Mónaco e o "rei" dos anos dourados da Fiat, Gianni Agnelli, têm em comum? Todos tornaram populares os carros pensados para a praia.

Citroën Méhari, o original e o novo

Os franceses da Citroën tornaram-se especialistas no conforto num automóvel. Mas há uma apetitosa excepção chamada Méhari – nome de um camelo muito rápido. O modelo produzido entre 1968 e 1988 tem por base o velhinho 2CV ("nascido" em 1948), mas tem uma carroçaria de plástico que assenta num chassis tubular. O resultado? Um carro muito leve, de 535 kg, pouco confortável, mas perfeito para ir de cabelos ao vento. Acima de tudo, é simples, muito divertido e um símbolo do bom tempo. Quando foi renovado, em 1979, já tinha versão em 4x4 pronta para "brincar" na areia ao ponto de ter sido o veículo de assistência médica do Rali Paris-Dakar de 1980. Foram produzidas 144 mil unidades (chegou a ser montado na fábrica portuguesa de Mangualde), mas, desde então, há várias firmas a produzir versões não oficiais. É um ícone desde que começou a ser o carro preferido pelos donos de iates na Riviera Francesa. Em Portugal, ainda se vêem muitos Méhari amarelos durante o tempo mais quente e este ano a Citroën lançou uma edição moderna do Méhari chamada E-Méhari e que é 100 por cento eléctrica.


Meyers Manx, o buggy de praia

É considerado o primeiro dos buggy e, por isso, um ícone. Já os vimos em praias do Brasil a encantar turistas portugueses, e não só, mas estão um pouco por todo o mundo. O Meyers Manx é um buggy a pensar nas dunas da praia e foi desenhado para corridas no deserto pelo designer, surfista, engenheiro e artista californiano Bruce F. Meyers. Foi produzido de 1964 a 1971 (a produção foi efémera por problemas relacionados com impostos do seu criador) e assumiu-se como um símbolo dos sentimentos de paz e de liberdade dos anos 60 norte-americanos. O modelo que adopta o chassis encurtado de um Volkswagen Carocha foi rei nas dunas, na sua época, batendo recordes mundiais, e também foi estrela de séries, de videoclips, de videojogos (como Grand Theft Auto) e de cinema, tendo sido guiado por Elvis Presley e também por Steve McQueen. Voltou a ser produzido depois do ano 2000. Os preços podem começar nos 10 mil euros, dependendo das versões, do ano de produção e do valor sentimental.

 

Meyers Manx
Meyers Manx Foto: D.R.

Fiat Jolly, o italiano das princesas

Estávamos nos anos de 1950, mais precisamente em 1955, e a Fiat substituiu o seu primeiro modelo 500, também conhecido por Topolino (que significa pequeno rato), pelo Fiat 600. Vivíamos tempos mais alegres, a II Guerra Mundial já tinha terminado há uma década e a marca italiana quis transformar o seu modelo com 3,22 metros de comprimento em algo especial. Daí que em 1958 enviou algumas unidades para a empresa italiana de design Ghia para o converter no Jolly, que, tal como o nome indica, é bem alegre. Bancos de palha ou de vime e um tecido ao estilo de toldo para tapar o sol, como opção, tornaram o modelo num bem necessário para quem queria ter estilo no Mediterrâneo. Aristóteles Onassis teve vários, até porque foram feitas diversas adaptações do modelo original com vários nomes curiosos e muitas hipóteses, incluindo o modelo sem vidro da frente. Foi na versão Fiat 600 Spiaggina (Savio-Boano) que Onassis transportou o primeiro-ministro britânico Winston Churchill pelas ilhas gregas, numa imagem peculiar que percorreu o mundo. A princesa Grace do Mónaco era uma fã deste carro. O modelo é tão popular que pode custar, hoje em dia, entre 50 e 150 mil euros. Do Fiat 600, em geral, foram produzidas 4,9 milhões de unidades.

 

Mini Moke, o carro das ilhas paradisíacas

A Mini não podia faltar neste mural dos ícones de praia. O Moke é baseado no Mini original, desenhado pelos responsáveis pelo sucesso do modelo britânico. Moke significa burro, num dialecto arcaico por terras de Sua Majestade britânica. Mas não fique confuso. É que este modelo peculiar também foi vendido com outros nomes: Austin Mini Moke, Morris Mini Moke e Leyland Moke. O design inicial foi pensado para ser um protótipo para um pequeno e leve veículo militar, ao estilo do Jeep americano – que depois deu origem ao Wrangler, também ele um belo veículo de praia –, e, nesse caso, figurou em séries como Beverly Hills 90210. Só que as suas rodas pequenas e a proximidade ao chão – ou não fosse o Mini a sua base – tornaram-no impraticável como veículo para todo-o-terreno. Foi como veículo civil, ou melhor, como buggy de praia, barato e fácil de manter, que atingiu um sucesso global e que se tornou mesmo objecto de culto em locais com praias paradisíacas como o Algarve ou as Seicheles, boa parte da Austrália, dos Estados Unidos e dos resorts nas Caraíbas. Só foram produzidos 14 mil no Reino Unido, de 1964 a 1968, mas depois a sua produção disseminou-se por vários locais do mundo, especialmente a Austrália (produziu 30 mil) e Portugal, onde se fizeram 10 mil entre as unidades de Vendas Novas e de Setúbal. Desde então têm surgido muitas imitações pelo mundo fora (algumas em versões eléctricas) e o modelo foi relançado em 2016, a partir da Austrália, mantendo o imaginário das praias e das ilhas paradisíacas bem vivo.

Mini Moke
Mini Moke Foto: D.R.
Saiba mais Aristóteles Onassis, Morris Mini Moke, Meyers Manx, Model, Ford, Grace do Mónaco, Citroën Méhari, Portugal, Austrália, automóvel
Relacionadas

Estrelas de cinema sobre rodas

Provavelmente está a reconhecer alguns destes automóveis. Porque há filmes e séries em que os veículos têm papéis secundários e até nomes próprios, o Pertersen Automotive Museum, em Los Angeles, reuniu mais de 40 veículos de histórias de ficção científica na exposição Holywood Dream Machines.

O carro mais sexy do mundo

Foi a coqueluche de celebridades, entre as quais Steve McQueen, George Best ou Brigitte Bardot. Sabe de que carro falamos?

Um arqui-inimigo para a Tesla?

R. J. Scaringe, o fundador da marca automóvel Rivian, está prestes a lançar o primeiro automóvel elétrico que poderá destronar Elon Musk.

Carros que são obras de arte

Elegantes. Voluptuosos. Apaixonantes. Marcantes. Memoráveis. Assim são (ou pretendem ser) estes modelos que lhe vão deixar água na boca.

Belos, fashion e desejados

Carros há muitos. Mas estes são tão desejados, quanto são fashion e entusiasmantes. Aston Martin, Bugatti, Porsche, Audi e Lamborghini. Tudo ao dispor, desde que dinheiro não seja um problema.

Mais Lidas