Viver

O fim das despedidas de solteiro tal como as conhecemos

Com os casais a casarem-se mais tarde do que a geração dos seus pais, as despedidas de solteiro começam a realizar-se em locais bastante mais luxuosos.

O Lobo de Wall Street (2014)
O Lobo de Wall Street (2014) Foto: IMDB
31 de dezembro de 2019 | Bloomberg

Despedidas de solteiro eram sinónimo de libertinagem, marcando o fim de uma fase da vida com uma escapadinha sobre a qual ninguém se atrevia a comentar na manhã seguinte. Mas com a maioria dos americanos a casar-se mais tarde do que a geração dos seus pais, deixou de fazer sentido esperar pela véspera do casamento para tanto divertimento.

"As pessoas estão a afastar-se dessa narrativa de que estariam a viver os últimos dias da vida de solteiro", afirma a organizadora de eventos Dawn Mauberret, de Nova Iorque. Comemorações pré-nupciais são cada vez menos focadas em álcool e mais em escapadas das pressões da vida moderna, como viagens para apreciar comida e cuidar do bem-estar. A inclinação atual é "passar momentos de qualidade com amigos e família".

Em 2018, a idade média do primeiro casamento era de 27,8 anos para as mulheres e 29,8 anos para os homens, segundo estimativas oficiais. Ainda em 1990, estas médias estavam em 23,9 e 26,1 anos.

Isto significa que a maioria dos noivos e noivas hoje em dia teve tempo para explorar o seu lado menos reprimido, se assim desejasse. E muitos não desejam, segundo dados que mostram que os millennials gastam menos em álcool do que as gerações anteriores. Com a idade vem a maturidade e, com a maturidade, geralmente vem o dinheiro. Hoje, os solteiros e solteiras estão mais disponíveis para gastar.

Litty Samuel, produtora executiva de 33 anos que trabalha na Meredith em Nova Iorque, optou por uma saída internacional de quatro dias em novembro de 2017. Ela e seis amigos viajaram para a Islândia, onde visitaram a Lagoa Azul, percorreram caminhos para fontes termais e mergulharam entre placas tectónicas.

"Fui ficando mais velha e saindo à noite cada vez menos", conta ela.

Jenna Miller, diretora de criação do website para casamentos Here Comes the Guide, observou um aumento no uso de serviços customizados de planeamento de comemorações de luxo, como Bach to Basics ou Luxury Bachelorette. Estas pessoas voam em jatinhos privados para destinos como Saguaro Palm Springs (que oferece festas na piscina, serviços de beleza e aulas de ioga), Carneros Resort and Spa e Solage Calistoga (para degustação de vinhos).

Em média, quem participa numa despedida de solteiro ou solteira nos EUA gasta 537 dólares, incluindo transporte, estadia e presentes. Pode sair bem mais caro. Uma festa com destino a Nova Iorque pode custar mais de 1.900 dólares. Cerca de 35% dos millennials endividaram-se para participar numa comemoração destas, de acordo com o estudo da Credit Karma.

Com grupos de amigos mais dispersos geograficamente, uma despedida mais demorada tornou-se uma espécie de necessidade, "especialmente se os padrinhos e madrinhas não se conhecem", afirmou Jamie Chang, organizadora de viagens de casamento na Mango Muse Events.

A rígida divisão de festas de mulheres e de homens também está a ficar para trás.

"Algo realmente importante para mim, e acho que isso tem a ver com o facto de eu ter passado dos 30, era ter comigo pessoas que participaram de épocas diferentes da minha vida", salientou Jenna Citron, 32 anos, diretora executiva de organização sem fins lucrativos Queens College Hillel, em Nova Iorque. Isto significou trazer Jon, o seu melhor amigo do ensino secundário, para a sua despedida de solteira.

Saiba mais Despedidas de solteiro, Nova Iorque, interesse humano, questões sociais, pessoas, família
Relacionadas

Being Joaquim de Almeida

A Must manteve uma conversa com o ator português mais internacional por ocasião da celebração dos 150 anos do champanhe Moët Impérial. Entre memórias e copos desse champanhe se passou a tarde que antecedeu a festa mais glamorosa da temporada.

Como melhorar a sua vida amorosa

Quer esteja numa relação séria ou só se queira divertir, reunimos algumas dicas, apps e tendências para fazê-lo da melhor forma nesta nova década e assim evitar os males do coração.

Os melhores pratos que os chefs provaram em 2019

Desafiámos alguns chefs a partilhar as melhores descobertas das suas expedições gastronómicas a outros restaurantes, e ficámos a saber qual foi o seu prato preferido de 2019. Surpreenda-se com as respostas.

Mais Lidas
Viver Sexo casual é bom e recomenda-se?

Vergonhoso e sem importância, é com esta fama às costas que tem vivido o termo (e a prática) referente a sexo ‘casual’. No geral, são vários os motivos apontados. Em particular e visto à lupa, esta escolha parece não representar nada de errado. Formalismos à parte, é claro.

Viver O Fim da Humanidade?

A inteligência artificial já está a ficar com os nossos trabalhos. Irá libertar-nos, escravizar-nos ou exterminar-nos? O Professor Stuart Russell, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, acredita que estamos numa encruzilhada perigosa.

Viver Vendas de papel de parede aumentam por causa da Covid-19

O interesse repentino na cor do papel de parede deve-se ao aumento das reuniões em videoconferência. Ou então ao facto das pessoas passarem mais tempo a olhar para as suas paredes. Qualquer que seja a razão, a MUST reúne as melhores opções para a casa.