Estilo / Relógios e Jóias

O que esperar do novo Apple Watch

O novo smart watch da Apple traz funções de ficar de "boca aberta", mas o mais impressionante, é a capacidade de leitura do nível de oxigénio no sangue.

O Apple Watch Series 6 consegue medir o nível de oxigénio no sangue.
O Apple Watch Series 6 consegue medir o nível de oxigénio no sangue. Foto: Apple
28 de setembro de 2020 | Inês Esteves

A capacidade de medir a saturação de oxigénio no sangue é a característica mais fascinante da série 6 do Apple Watch, e em altura de pandemia de Covid-19, esta torna-se uma ferramenta importante, visto que alguns pacientes com o vírus, em estado crítico, revelaram ter níveis baixos de oxigénio. Esta funcionalidade "ajuda a compreender se o corpo está a absorver bem o oxigénio e a distribui-lo da melhor forma", como explica o site da marca.

A leitura funciona através da aplicação que vem instalada no dispositivo – mantemos o pulso firme e direito e pressionamos o botão para iniciar. Durante 15 segundos, o sensor na parte de trás do relógio vai medindo os níveis de oxigénio no sangue. Uma pessoa saudável costuma ter  níveis de oxigénio no sangue acima de 90 – sendo que as pessoas com problemas respiratórios ou de sono podem ter níveis mais baixos, entre 60 a 90, explicou a médica Cathy A. Goldenstein ao The New York Times.  

Os especialistas e médicos Cathy A. Goldenstein e Ethan Weiss revelaram também que este avanço no Apple Watch era positivo e que podia ser utilizado para investigação. No entanto, avisaram que podia criar alarmismo, ou podia levar pessoas a fazer o próprio rastreio, sem ter ferramentas necessárias para tal.

O médico Ethan Weiss acrescentou ainda que esta caraterística torna-se útil para indivíduos com problemas cardiovasculares, ou outras doenças, porque assim se pode controlar os níveis através do relógio e reportar ao médico, que posteriormente iria tomar decisões mediante a situação. 

O novo relógio inclui outras funções como a nova aplicação 'Sono', que ajuda a estabelecer rotinas mais saudáveis e updates na aplicação 'Fitness', para registar dados de treino. Agora, o ecrã do relógio está sempre ligado, mostrando-se "significativamente mais luminoso ao ar livre", em comparação com os Apple Watch anteriores. Consegue tratar de chamadas e mensagens, directamente do pulso, assim como pagamentos com a "Apple Pay". Tem também a aplp "Mapas" e recebe-se um toque no pulso quando é necessário mudar de direção. Destaque ainda para os materiais em que relógio é feito, agora reciclados.

O novo modelo da Apple está disponível desde dia 18 de setembro a partir dos €439.

Saiba mais Apple Watch, saúde, ciência e tecnologia, Ethan Weiss, Cathy A. Goldenstein, medicina, covid-19
Relacionadas

Que horas extraordinárias!

Quem quer um relógio com um meteorito de Marte no mostrador? Um Patek em aço? Um Cartier inclinado? Venha descobrir os relógios mais surpreendentemente elegantes do ano.

Portugueses dormem pior devido à pandemia, conclui estudo

Melatonina, a hormona do sono está em falta e a chegada da pandemia só contribuiu para acentuar a sua ausência. Segundo a OMS, as perturbações do sono afetam cerca de 40% da população – a insónia é o transtorno mais frequente.

Mais Lidas
Relógios e Jóias O relógio favorito dos Óscares

A Rolex está ligada ao cinema há décadas: da presença dos seus relógios em filmes icónicos até ao apoio prestado pela casa suíça aos jovens realizadores através de um programa de mentores. Conheça esta história de amor entre duas formas de “contar” o tempo.

Ténis Fixe estes nomes

A TAG Heuer alia-se mais uma vez ao universo do ténis, fazendo as suas apostas em Felix Auger Aliassime, Alex Minaur e Frances Tiafoe.

Relógios e Jóias Tradição e modernidade

Há mais de um século em busca da excelência, a Rolex tem contado a sua história a par da ligação ao mundo das artes e do desporto. É o caso do ténis, um desporto nobre e símbolo de charme.