Artes

Cultura em tempo de emergência: fecham-se as portas e abrem-se as janelas virtuais

As instituições culturais foram as primeiras a fechar as portas face à pandemia que está a obrigar países inteiros ao recolhimento. Mas não desanimemos! Muitas estão a tornar as dificuldades em oportunidades com a ajuda da tecnologia.

Foto: Getty Images
20 de março de 2020 | Carolina Carvalho

Estão proibidos os ajuntamentos na rua e desaconselhadas as saídas de casa. Os museus e os teatros fecharam, temporariamente, os concertos foram adiados e as viagens vão ficar em lista de espera durante uns tempos. Mas as sugestões de entretenimento não se limitam à televisão, aos canais de streaming, aos jogos de tabuleiro ou à pilha de livros na mesa de cabeceira. Os museus não recebem o público nos seus espaços, mas não quer dizer que não se possam fazer visitas… assim como o facto dos teatros não terem as salas cheias não significa que não possam partilhar os seus espetáculos com o público. Muitas instituições e artistas estão a criar oportunidades via online ou a revisitar os conteúdos já existentes. Deixamos-lhe algumas sugestões.

No domínio da Arte, a desolação de ver todos os museus encerrados quase faz sentir saudades das filas infinitas e das selfies nas galerias de quadros. Por agora as visitas podem ser feitas, mas através de um ecrã. Na plataforma Google Arts & Culture é possível visitar centenas de museus. Através deste link está disponível uma galeria com todas as instituições disponíveis. Entre as centenas de ofertas podem encontrar-se alguns dos mais famosos museus do mundo, 36 portugueses e espaços para todos os gostos e estilos. Cada museu tem uma oferta própria que pode passar por ver uma obra famosa no seu contexto de exibição ou fazer uma visita virtual pelo espaço de uma galeria de exposição.

O Museu do Louvre está encerrado, mas oferece três visitas virtuais que estão disponíveis no site. Em Portugal há várias instituições a fazerem o mesmo. Duas delas são o Museu Nacional de História Natural e o Museu Calouste Gulbenkian, que tem duas visitas virtuais: uma à Coleção do Fundador e outra à Coleção Moderna. Para uma visita virtual mas num registo ligeiramente diferente, o Museu Hermitage, em São Petersburgo (Rússia) pode ser visitado através deste vídeo no canal de Youtube da Apple (uma vez que foi feito para a promoção do iPhone 11 Pro). A "visita" dura aproximadamente 5 horas e 20 minutos. Afinal este é um dos maiores museus do mundo.

Muitos museus apostavam já em canais próprios de Youtube onde mostram ao público uma série de conteúdos variados relacionados com as exposições em curso ou outras iniciativas. Em Nova Iorque, museus como o MoMa (Museu de Arte Moderna) ou o Metropolitan Museum of Art estão, temporariamente, encerrados, contudo ambos têm canais de Youtube com uma oferta bastante rica de vídeos que pode agora ser (re)visitada. Em Londres, os gigantes Tate Britain, British Museum e Victoria & Albert Museum resistiram, mas acabaram por encerrar as suas portas, temporariamente. Embora estas três instituições não possam ser visitadas fisicamente, mantêm a ligação ao público através dos canais digitais, uma vez que todos eles contam com canais de Youtube recheados de conteúdos.

Na música, são constantes os cancelamentos de concertos e até o evento gigante que é o Festival da Eurovisão 2020, e que ia ter lugar na Holanda este ano, foi cancelado. Por outro lado, o Festival #EuFicoEmCasa é um sucesso com cada vez mais seguidores. O festival tem morada na rede Instagram com o nome Festival Eu Fico em Casa e é uma iniciativa que reúne inúmeros artistas que dão pequenos concertos (cerca de 20/30 minutos). Cada um pode ser visto na sua própria página desta mesma rede social.

E agora teatro. Em Lisboa, o Teatro Nacional D. Maria II criou a iniciativa D. Maria II em Casa. A partir de sábado dia 21 de março, todas as sextas e sábados às 21:00 horas, o teatro convida o público para uma sala online onde podem ser vistos espetáculos que estiveram em cena dos últimos anos. Depois de "estrearem", todos as produções e c-produções vão estar disponíveis até ao fim da iniciativa. Veja aqui a apresentação com o link para assistir aos espetáculos. O Teatro Aberto lançou também o Teatro Aberto em Casa através da qual todas as noites às 21:00 exibe no seu site uma peça do seu arquivo. O projeto e a lista de espetáculos podem ser vistos aqui

Em Nova Iorque a Metropolitan Opera lançou a iniciativa Nighyly Met Opera Streams, que consiste na transmissão de uma ópera por noite (horário de Nova Iorque) que tenha estado em palco nos últimos 14 anos. Cada espetáculo está disponível no site durante 20 horas, ou seja, até à transmissão da próxima. A Metropolitan Opera fechou as portas no passado dia 12 de março, devido às medidas de contenção por causa do coronavírus e esta iniciativa arrancou esta 2ª feira, dia 16. Veja aqui a lista de espetáculos.

Saiba mais Museus, Teatro, Música, Covid-19, Coronavirus, Digital, Virtual
Relacionadas

7 museus para viver a paixão pelos automóveis

A velocidade e a competição não são os únicos combustíveis dos aficionados por automóveis. Selecionamos sete museus onde se contam histórias, se celebram marcas, se contempla uma indústria em constante movimento e se aprecia a arte do design. Uma viagem com paragens obrigatórias em França, Itália, Alemanha, Estados Unidos e, claro, no Caramulo, em Portugal.

Os magnatas da Arte

Por detrás de um grande artista há, quase sempre, um grande mecenas. E, felizmente, os “Donos Disto Tudo” na Arte, desde Rockefeller a Gulbenkian, optaram por deixar um legado que todos podem admirar.

Mais Lidas
Artes Cultura em tempo de emergência

As instituições culturais foram as primeiras a fechar as portas face à pandemia que está a obrigar países inteiros ao recolhimento. Mas não desanimemos! Muitas estão a tornar as dificuldades em oportunidades com a ajuda da tecnologia.

Master Pieces E Deus criou a Mulher

Para que não fique a acreditar que a mulher mais sensual do mundo é Monica Bellucci, mostramos-lhe outras que, muito antes dela, deram a volta ao mundo e à cabeça dos homens. A escolha não foi fácil. Eis, então, cinco verdadeiras obras-primas da Natureza.