Viver

Robot da NASA aterra às 20h55 em Marte (e pode ver em direto)

A NASA continua à procura de sinais de vida no planeta vermelho, e a mais recente missão é a aterragem do robot "Perseverança" em Marte.

Foto: NASA/JPL-Caltech
18 de fevereiro de 2021 | Rita Silva Avelar
A NASA continua a missão a que se propôs em Marte: encontrar vestígios de vida e averiguar as condições do planeta para a receber. 

Às 20h55 (hora de Lisboa) poderemos ver em direto do canal de Youtube a aterragem do "Perserverance" (Perserverança, em português), um robot que está a caminho do planeta vermelho há sete meses. Esta manhã, o rover de seis rodas encontrava-se ainda a mais de 400 milhões de quilómetros da Terra, e agora prepara-se para a parte mais difícil da missão: aterrar em segurança. Este processo, que leva sete minutos, é automatizado, sendo feito pela própria nave e contando com a perícia dos engenheiros e programadores da NASA para acertar no local. Até à aterragem há um conjunto de etapas complexas e minuciosas que têm de ser executadas de forma cuidada. Por exemplo, ao entrar na atmosfera de Marte, que funciona como escudo térmico, a sonda desacelera, o que a protege nesta fase. Isto porque as temperaturas durante a descida vão subir até aos 1.300 graus Celsius.

Assim que a delicada sonda estiver a apenas 11 quilómetros da superfície de Marte, será lançado um paraquedas para ajudar na desaceleração. Só depois será lançado o escudo térmico e os foguetes assumem, aqui, o controlo do processo. Ao longo do último minuto, a nave descerá lentamente sob a força de um foguete. Depois, a nave paira e o "Perseverance" desce até à superfície de Marte, usando cordas de nylon. Assim que tal acontecer, a nave parte com rapidez para se autodestruir longe, deixando a sonda fazer o seu trabalho

Veja tudo em direto, aqui:

Saiba mais NASA, Marte, Sonda, Nave, Planeta vermelho, Encontrar vida, Missão, Espaço, Galáxia
Mais Lidas
Viver Turistas fazem reservas com antecedência, mas para onde?

No início da pandemia, especialistas em viagens apressaram-se em determinar a forma da recuperação. Seria em forma de L? Ou mais como um W? Um ano depois, apesar de breves períodos de recuperação e muita procura reprimida, a retoma das viagens ainda está para chegar.

Viver Trabalhadores remotos fogem para resorts à espera de vacinas

Quando o governador Gavin Newsom anunciou um "lockdown" na Califórnia ainda mais rígido em meados de dezembro, alguns residentes mais abastados correram para lugares - o mais longe possível - como a ensolarada Belize. Outros, que já antecipavam a medida, tinham partido há muito tempo.