Estilo / Beleza & Bem-Estar

As consequências de usar álcool gel (todos os dias) nas mãos

Com uma pandemia mundial, mais do que nunca, valorizamos muito o álcool gel. É algo que começou a andar connosco, quase como o nosso telemóvel. No entanto, o uso excessivo de desinfetante tem algumas consequências negativas.

Foto: Photo by Noah on Unsplash
10 de setembro de 2020 | Inês Esteves

A importância de ter as mãos limpas, ou pelo menos desinfetadas, é crucial durante o tempo em que estamos a viver, no entanto, que consequências é que podemos encontrar ao usar desinfetante à base de álcool várias vezes ao dia, todos os dias?

Para começar, o uso excessivo pode perturbar os microbiomas, que são essencialmente todos os microorganismos que residem nos tecidos e fluídos humanos. O álcool gel, ao matar as bactérias, pode afetar os microbiomas, e isto acaba por ser prejudicial, pois estas são benéficas para o nosso corpo, ou seja, se tivermos acesso a água e sabão, é melhor usá-los.  

Esta prática pode também criar bactérias mais resistentes, isto é, ao aplicar o gel com ingredientes antibacterianos constantemente, habituamos as bactérias e estas começam a criar resistência à substância que devia matá-las.

Outra característica do uso compulsivo desta substância, que provavelmente já todos notámos, é ter mãos secas. O uso diário resulta neste efeito, que facilmente é contrariado se tivermos o cuidado de hidratar a pele, ou sempre que possível, optar por lavar as mãos com água e sabão em vez de as desinfetar com álcool.

Se trabalhar com produtos químicos, o desinfetante pode ser perigoso. Produtos de limpeza fortes, desengordurantes e pesticidas são coisas que não queremos misturar com o nosso álcool gel, a combinação dos dois pode ser bastante prejudicial para o nosso corpo. – De acordo com um estudo publicado no Journal Of Occupational and Environmental Medicine, agricultores que usam desinfetante tinham níveis alarmantes de pesticidas no corpo, enquanto que os que não usavam o gel, não estavam tão expostos a este risco.

É de referir também que se as mãos estiverem visivelmente sujas, o álcool gel não funciona. Este não remove a sujidade, e é menos eficaz na eliminação de germes quando as mãos estão sujas. Logo, ao usar nesta circunstância está-se somente a prejudicar a pele. No entanto, tendo em conta a pandemia de covid-19, é estritamente necessário o uso de álcool gel.

Saiba mais saúde, organizações de saúde, covid-19, pandemia, ciência, estudo
Relacionadas
Mais Lidas
Beleza & Bem-Estar Barry Eppley, o “Einstein da estética”

Deusificado, por muitos, no mundo das cirurgias estéticas, o médico do estado do Indiana (EUA) não esconde as suas práticas mais radicais na transformação visual dos seus clientes. Esta é a razão porque é tão procurado – e criticado também.